A semana

O murro anuncia a morte

O murro anuncia a morte

O estamento burocrático governamental no Brasil guarda a noção de que tudo se resolve por leis e decretos – nada mais natural, alías, em uma República que, também ela, nasceu por decretação. No caso específico do crescente número de assassinatos de mulheres praticados por homens, que não aguentam psiquicamente ouvir da companheira “vamos terminar a relação amorosa”, essa tese fica clara. Fez-se a Lei Maria da Penha, criou-se a tipificação penal do feminicídio, e nada está resolvido. Vemos estarrecidos mulheres serem mortas a tiro, estranguladas, defenestradas, queimadas e brutalizadas a marretadas – na rua, em casa, em lojas, em resorts. Nos primeiros quatro dias de 2019, quatro mulheres foram mortas no Rio de Janeiro porque seus parceiros não aceitaram o fim do relacionamento. Em São Paulo, no mesmo período, o número de vítimas foi cinco. Em Goiás, quatro mulheres morreram em quarenta e oito horas. No País inteiro somam-se vinte e um feminicídios nos sete primeiros dias do (velho) ano novo. Na semana passada, um estudo inédito do Ministério da Saúde mostrou que três em cada dez mulheres que são assassinadas no País sofrem sistematicamente espancamentos. Ou seja: o bruto não se faz criminoso de uma hora para a outra, é como se o primeiro murro já anunciasse a morte, próxima ou distante. O estudo ganha relevância ao demonstrar que é bobagem considerar que leis mudam o temperamento de um agressor. O que está em questão é o transtorno da personalidade narcísica, que faz do portador um parceiro que “coisifica” a mulher. A solução está na educação, desde criança: formar indivíduos não hedonistas e não egoístas, aptos a suportarem a frustração amorosa, aprendendo que ciúme é psicopatologia e que ninguém é dono do corpo e da alma de ninguém.

UNIÃO EUROPEIA
“Primeira Internacional Nacionalista”

MURAL EM PARIS Marianne, símbolo da Revolução Francesa, inspira os coletes amarelos: a ordem é protestar (Crédito:PHILIPPE LOPEZ)

Está criada a “Primeira Internacional Nacionalista”. Vejamos duas frases: “Não desistam e continuem a lutar!”; “Coletes amarelos, não cedam!”. São palavras de ordem do comando dos manifestantes que incendeiam as ruas da França em protesto contra Emmanuel Macron? Nada disso! Elas foram ditas pelo vice-primeiro-ministro da Itália, Luigi Di Maio, apoiando as barricadas no vizinho. Não bastasse essa ingerência no governo nacionalista francês, outro líder nacionalista italiano, Matteo Salvini, completou a obra: “Apoio cidadãos honestos que protestam diante de um presidente que governa contra seu povo”. O estrago está feito a poucos meses das eleições para o combalido Parlamento Europeu.

Reação francesa

ERIC FEFERBERG

“A França tem cuidado para não dar lições à Itália. Salvini e Di Maio deveriam aprender a limpar a casa antes de falar”
Nathalie Loiseau, ministra no governo de Emmanuel Macron

“Eles deveriam cuidar da política italiana antes de falar sobre questões francesas” Édouard Philippe, primeiro-ministro francês

MÚSICA
De Sabina a Damares

Divulgação

Boa tradição da nossa MPB: satirizar políticos. Um excelente samba acaba de nascer do bom humor de Moacyr Luz (foto). O alvo é Damares Alves: “Não me cutuca/eu uso o que vier/a cor que veste um homem/cabe na mulher/eu sou rosa de Mangueira/azul de Madureira/seja o que Deus quiser”. Essa é a mais nova sátira da República. Eis a última do Império: “Sem banana macaco se arranja/imperador passa muito bem sem canja/mas estudante de medicina não pode passar sem as laranjas da Sabina”. Criação coletiva de estudantes de medicina, em defesa da baiana Sabina (foto) que fora proibida por Perdo II de armar seu tabuleiro diante da Faculdade, no Rio de Janeiro.

STF
Me solta!

Vladstudioraw

Chuva não. Tempestade de habeas corpus. Na semana passada foi divulgado que o STF fechou 2018 tendo recebido 13,5 mil pedidos desse recurso jurídico. Record absoluto. Do total, 642 habeas corpus foram concedidos, sendo que 85,5% deles acabaram julgados por um só magistrado (monocraticamente). Somente para cotejamento: em 1990 deram entrada no STF 91 pedidos de HC.

TECNOLOGIA
A parceria da Apple com a Samsung


As atenções se voltaram para a Apple na Consumer Electronic Show, a mais conceituada feira de eletrônica do planeta, aberta na semana passada, nos EUA. Motivo: a Apple não tem tradição de participar desse evento, mas dessa vez se fez presente. Mais: associou-se à Samsung, até então forte concorrente, com o objetivo de compensar a queda nas vendas de iPhone por meio da expansão de sua plataforma de vídeos. Para o consumidor, isso significa que os televisores da Samsung (2017 e 2018) acessarão o iTunes, a plataforna da Apple que permite a locação de programas de tevê e de filmes. A Apple entrará no filão de streaming. Competirá com Netflix e Amazon.