O mundo precisa do impeachment de Bolsonaro tanto quanto o Brasil

Crédito: SERGIO LIMA / AFP

(Crédito: SERGIO LIMA / AFP)


Com 300 mil mortos acumulados, 90 mil novos casos e 3 mil novas vítimas fatais de Covid-19 por dia, o Brasil tornou-se, além do epicentro mundial da doença, uma fábrica de novas cepas ainda mais contagiosas e mortais desse maldito vírus, graças à irresponsabilidade e ao pouco caso da população, alimentados pelo negacionismo e ignorância do presidente da República e pela completa incompetência do governo federal, que até hoje nem sequer uma campanha nacional de propaganda contra a doença conseguiu produzir e veicular.

Se a metade dos brasileiros e os caciques do Congresso Nacional não se importam com o caos sanitário em curso no País, e juntos não se aliam à outra metade da população e aos congressistas dignos do cargo, em busca do impeachment imediato de Jair Bolsonaro, o verdugo do Planalto, boa parte da imprensa mundial e líderes de diversos países começam a subir o tom de alerta e de recriminação contra a política homicida do desgoverno brasileiro no combate – ou melhor, na falta de combate – ao novo coronavírus.

Já são 108 os países que não permitem a entrada de brasileiros em seus territórios. As imprensas norte-americana e europeia usam expressões como “cemitério do mundo”, “colônia de leprosos” e “ameaça global” para se referir ao Brasil. Mesmo aqui, na América do Sul, países como o Chile e a Argentina não querem saber de brasucas espalhando novas mutações por suas cidades. A rede CNN, dos Estados Unidos, exibiu neste sábado (20) uma matéria em que o título foi: “Sem vacinas, sem liderança, sem fim à vista”.

Virologistas pelo mundo alertam para o perigo da combinação de vacinação lenta e liberdade de circulação, mistura que pode fazer surgir diversas variantes imunes às vacinas em uso, o que determinaria o retorno do planeta a janeiro de 2020, já que todos os imunizantes desenvolvidos não produziriam mais efeitos contra as novas cepas tupiniquins. O Brasil de hoje pode vir a se tornar a China de ontem, diante do descaso das autoridades, notadamente do obscurantista Jair Messias Bolsonaro, o devoto da cloroquina, maníaco do tratamento precoce.


+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ ‘Raça de víboras’: Andressa Urach critica seguidores que não acreditam em sua fé
+ “Fama e dinheiro vem cheio de desgraça”, desabafa Pedro Scooby



Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.