Edição nº2552 15/11 Ver edições anteriores

O fantasma de Lula

Se até agora Fernando Haddad era o fantoche, o ventríloco de Lula, por repetir tudo o que o mestre manda, agora o ex-prefeito de São Paulo passou a ser o fantasma de Lula que assombra a classe política e empresários. De acordo com o Datafolha divulgado na noite desta sexta-feira, Haddad subiu de 4% das intenções de votos no último dia 21 de agosto, para 13%. E já está com o mesmo percentual de Ciro Gomes. Os dois com 13% começam a abrir distância dos outros dois candidatos que ainda têm chance de irem para o segundo turno, Geraldo Alckmin e Marina Silva. Alckmin está agora com 9% (na pesquisa feita há quatro dias estava com 10%) e Marina Silva está com 8%, quando no último dia 21 de agosto chegou a ter 16%. Marina está em queda livre e praticamente vai dizendo adeus à passagem para o segundo turno. Alckmin ainda tem uma chance remota, pois está em empate técnico com Ciro e Haddad. Mas vai ter que conseguir convencer os eleitores de Henrique Meirelles, Alvaro Dias e João Amoêdo, todos com 3% cada, de que eles deixem de votar nos seus candidatos e votem no tucano, como forma de alavancá-lo para o segundo turno. É o voto útil. Alckmin vai ter que se concentrar nisso. Não adianta mais ficar batendo em Jair Bolsonaro, pois já ficou provado que ele não conseguiu tirar votos do candidato do PSL, depois de dez dias batendo no ex-capitão do Exército no horário eleitoral gratuito. Se Alckmin não conseguir o voto útil nos próximos dias, também ficará pelo caminho. Nesse caso, restarão a Ciro e Haddad buscarem uma das vagas para o segundo turno. Afinal, a primeira vaga já está garantida para Bolsonaro. Ele subiu de 22%, para 24% e agora está com 26%. Ninguém mais o alcança. A não ser que um fato muito grave aconteça a Bolsonaro ou surja alguma coisa que o derrube, o que não parece possível. Assim, pelo quadro de hoje, teremos um segundo turno entre Bolsonaro e entre quem conseguir passaar a frente: ou Ciro ou Haddad. Entre os dois, há algumas diferenças. Haddad é o candidato do partido mais corrupto da história recente e é o pau mandado de Lula, que está na cadeia por corrupção, condenado a 12 anos e 1 mês de prisão. É verdade que ainda tem os cegos petistas que acreditam que seu líder é inocente e que a condenação não passa de uma perseguição da Justiça. Argumento que, obiviamente, é um delírio da cabeça do séquito petista, que usa uma viseira para não enxergar os crimes cometidos pela cúpula petista. Dessa forma, pode ser que Ciro tenha vantagens nesse processo, pois ele não está enlameado como os petistas estão. Nesse caso, Ciro também terá que pedir o voto útil, explicando à esquerda que ele tem mais condições de derrotar Bolsonaro no segundo turno. Pelo menos é isso que dizem as pesquisas. Ou seja, Ciro derrotaria Bolsonaro, enquanto que Haddad ficaria em empate técnico com o ex-capitão. Além de tudo, Haddad no poder significa trazer de volta o fantasma de Lula. Certamente Haddad concederá indulto ao chefe do PT e o tirará da cadeia, contrariando todas as provas e leis que o levaram às barras dos tribunais. Afinal, como é laranja de Lula, quem vai governar, inclusive da cadeia, é o próprio Lula. Uma aberração que se desenharia caso Haddad vença as eleições.


Mais posts

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.