O efeito Brett

Nesse momento em que se vê diversos países guinarem à direita, tudo que a democracia não precisava é da indicação do juiz Brett Kavanaugh para a Suprema Corte dos EUA. Mas é esse o magistrado que Donald Trump quer ver no mais elevado tribunal do país, substituindo Anthony Kennedy, que anunciou a sua aposentadoria.

Ao longo de décadas os EUA foram posto avançado na conquista de direitos civis e a Suprema Corte teve papel fundamental em tudo isso. É, nesse ponto, que se explica a razão pela qual não apenas os EUA, mas também outras nações, agora andarão para trás — sendo que algumas delas, sobretudo na União Europeia, já vocacionadas a promover retrocessos nos direitos individuais, recebem tal fato de braços abertos. A tradição e o prestígio jurídico da Suprema Corte irradiam ao mundo as suas decisões. Irradiaram, por bom tempo, determinações progressistas; com Kavanaugh irradiarão o conservadorismo radical.
Brett Kavanaugh defende valores atenientes ao republicanismo clássico, e prova disso foi sua atuação no Tribunal Federal de Recursos, em Columbia. Decidiu contra o aborto e contra o controle na venda de armas, eximiu de responsabilidade o poder executivo sempre que ações pediam a condenação por violação das garantias fundamentais. Trata-se de um fascista? Não. Católico fervoroso, serve pessoalmente refeições a moradores de rua, não ostenta riqueza, não alimenta vaidade (nem pleiteia auxílio-moradia). Embora Anthony Kennedy também seja conservador, ele costumava acompanhar os votos dos progressistas naquilo que se refere aos direitos civis, chegando a concordar, algumas vezes, com a mais radical juíza dessa corrente jurídica, a magistrada Ruth Ginsburg. Com Kavanaugh é diferente, o tribunal se petrifica majoritariamente conservador.

O seu nome terá de ser aprovado por parlamentares. As eleições intercalares nos EUA estão marcadas para o início de novembro, e os americanos dirão nas urnas se estão gostando ou não da legislatura da Câmara de Representantes. Além disso, renovarão 34 dos 100 senadores. O Partido Democrático espera sair-se numericamente vitorioso para derrubar Kavanaugh quando ele for sabatinado no Senado. Ilusão. Ao que tudo indica, a vantagem de Trump no Congresso será mantida. E, consequentemente, mantido estará o nome de seu indicado. Haverá um inevitável retrocesso nos direitos civis.

As eleições intercalares nos EUA não mudarão o perfil conservador do Congresso. Assim, a indicação de Brett Kavanaugh para a Suprema Corte será mantida. E haverá um retrocesso nos direitos civis

 


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.