A semana

O delírio do corrupto Lula, segundo o corrupto Palocci

Crédito: Divulgação

DELAÇÃO O ex-ministro Antonio Palocci fala do pré-sal e dos caças suecos: Lula, de acordo com o depoimento, está enrolado nos dois casos (Crédito: Divulgação)

Veio a público o depoimento do ex-ministro Antonio Palocci prestado ao Ministério Público Federal. Palocci serviu aos governos petistas como ministro da Fazenda e da Casa Civil. Foi amigo pessoal do ex-presidente Lula, era um de seus principais interlocutores e sabe tudo sobre a vida daquele que foi seu chefe – ruim para ele, o chefe. Em cumprimento do acordo de delação premiada, Palocci assegurou que Lula teve “participação direta” nos pedidos de vantagens ilícitas e ilegais a partir da descoberta do pré-sal (bilionárias reservas de petróleo). Como já mostrou o cinema, a literatura e a vida real, o ouro pode fazer as pessoas delirarem se elas forem gananciosas. Não é diferente com o petróleo. Explica-se assim, portanto, a presença da impactante expressão delírio no depoimento (quatro páginas) de Palocci. Disse ele: “houve um delírio político por parte de Lula e da gestão petista”. Mais: Palocci diagnosticou um descuido do ex-presidente com aspectos jurídicos. Para bom entendedor poucas palavras bastam, e a Justiça é rápida entendedora quando se depara com a palavra “descuido”. Mais ainda: ele declarou que Lula também atuou “diretamente” nos pedidos de propinas na ocasião da compra de caças suecos para a renovação da frota da FAB. Sobre a ingerência do ex-presidente nos fundos de pensão mantidos por estatais, o outro ex, o ex-ministro, disse que Lula obtinha com isso “vantagem política”. O acordo de delação de Palocci foi firmado com a Polícia Federal, em Curitiba. Ele será ouvido em novembro pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal.

Denúncia
A reunião do caça Mirage

Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

O juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Vallisney de Oliveira, considera importante ouvir também o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim no processo que trata da compra dos caças suecos. Segundo o magistrado, Jobim foi ouvido no ano passado mas nada disse sobre uma reunião com Lula e o ex-presidente da França Nicolas Sarkozy (foto), da qual teria participado. Motivo da reunião: aquisição de um caça Mirage francês. Em seu depoimento, Palocci assegura que foi assinado um protocolo que Sarkozi levou consigo.

ECONOMIA
Panquecas contra Trump

REFEIÇÃO AMIGA Os presidentes da China, Xi Jinping, e da Rússia, Vladimir Putin: protecionismo, não (Crédito:Divulgação)

Tiveram início os tradicionais “exercícios militares” da Rússia, na região da cidade de Vladivostok, ao leste do país. Dois fatos marcam o evento desse ano: é a maior moblização militar russa desde a Guerra Fria (300 mil soldados) e a China e a Mongólia participam dos exercícios. Trata-se de um recado velado a Donald Trump e à sua política econômica e comercial protecionista.
A OTAN, liderada pelos EUA, condenou o exibicionismo bélico como sendo a “vontade de se criar um conflito em larga escala”. O presidente chinês, Xi Jinping, rebateu: “em uma situação de imprevisibilidade é vital a cooperação entre China e Rússia”.

MODA
A primeira modelo com Down brilha em Nova York

Credite-se à grife Talisha White um dos mais nobres e marcantes momentos da Semana de Moda de Nova York, que entrará para a história mundial das passarelas. Ela incluiu em seu time de modelos uma jovem que é portadora da síndrome de Down: chama-se Marian Avila, tem 21 anos e é espanhola. “Quebrei preconceitos e quebrei barreiras”, declarou ela.

171 milhões de munições foram comercializadas no Brasil em 2017, segundo dados do Exército. Agora, o absurdo: 131,4 milhões de tais munições, o equivalente a cerca de 77%, não têm marcação para rastreamento e identificação do comprador. 70% dos assassinatos no País se dão por meio de armas de fogo.

BRASIL
O suicídio de uma Nação

RomanBabakin

Está havendo uma corrida (ou correria?!) aos museus no Rio de Janeiro desde que o descaso de autoridades tornou cinzas o Museu Nacional. Isso é bom, mas vale lembrar, na área da psicologia social, que existe uma ansiedade do niilismo: “ou vejo agora ou não vejo nunca mais”. E isso é ruim. É o suicídio de uma Nação, como o jornal “Le Monde” se referiu ao Brasil. Mais: Michel Temer criou na semana passada a Agência Brasileira de Museus para reconstruir o que queimou. O melhor seria deixá-lo em ruínas para que o País lembrasse de cuidar de seu patrimônio. Os alemães fizeram isso com a igreja Kaiser Wilhelm (foto), bombardeada na Segunda Guerra: o estrago expõe o assassinato da cultura.

JORNALISMO
Recordista do “Prêmio Comunique-se”

Divulgação

O jornalista Ricardo Boechat (foto), colunista de ISTOÉ, confirmou na terça-feira 11 o seu título de recordista do “Prêmio Comunique-se”. Da casa de espetáculos Tom Brasil, em São Paulo, Boechat saiu na noite da terça-feira 11 com mais dois prêmios: Colunista de Notícia, por seu trabalho em ISTOÉ, e Âncora de Rádio, pelo comando de programa matutino na BandNews FM. Com isso, Ricardo Boechat colocou agora na estante o seu décimo oitavo troféu. Na abertura do evento, o presidente do Grupo Comunique-se, Rodrigo Azevedo, lamentou o grave e triste momento de crise em que vive o jornalismo em todo o mundo onde fake news disputam espaço com notícias verdadeiras.