Edição nº2590 16/08 Ver edições anteriores

O cinismo dos golpistas

Foi um martírio acompanhar a sessão extraordinária do Senado para o julgamento do impeachment, mas muitos o fizeram cientes de que era um último sacrifício antes de se livrar de vez de Dilma. No ato final dessa ópera bufa, ficou claro que nada mudaria: o cinismo é mesmo a marca registrada do PT. A começar pelo vitimismo. O partido que destruiu nossa economia, prejudicando principalmente os mais pobres, e que se lambuzou no poder com as empreiteiras, continuou bancando a vítima das “elites” e se dizendo defensor dos pobres. É muita cara de pau fingir que os últimos treze anos não existiram para insistir na retórica de eterna oposição ao sistema.

A desfaçatez de quem nada aprendeu nesse período todo chega a espantar. Dilma realmente se vê como uma perseguida, vítima de um golpe. Esqueça mensalão e petrolão, fraudes fiscais escandalosas, tentativa de obstruir a Justiça na Operação Lava Jato, nomeando Lula para ministro, o aval do STF no processo, composto basicamente por ministros indicados pelo próprio PT. Os fatos não podem contra a narrativa. E nessa o PT mira no público-alvo de sempre: uma ala da elite culpada que sonha com o socialismo até hoje, estudantes seduzidos por doutrinadores, artistas engajados e sindicalistas. Uma cambada de idiotas úteis explorados pelos oportunistas demagogos, encantada com o discurso de representante dos pobres contra a elite insensível. Ou cúmplices da quadrilha, claro.

“A desfaçatez de quem nada aprendeu
em todo esse período chega a espantar”

Petistas são incapazes de pedir desculpas, de reconhecer erros, de admitir a realidade. Culpam sempre bodes expiatórios por suas trapalhadas. São incapazes de um debate civilizado. Precisam demonizar o adversário, quando não partem diretamente para a intimidação, ou usam seus “movimentos sociais” para tocar o terror nas ruas. Eles dizem defender a democracia, mas apoiam os piores ditadores da história, e flertam abertamente com o modelo venezuelano. Alguns senadores de oposição foram duros com Dilma e seu partido, mas em geral fazem concessões indevidas, respeitando o passado de Dilma (o de guerrilheira comunista?), recusando-se a apontar claramente quem é o golpista nessa história toda.

O golpe veio e vem do PT, na tentativa de comprar o Congresso, de calar a imprensa, de aparelhar o STF, ao fazer terrorismo durante as eleições, praticar estelionato eleitoral, usar a máquina estatal para a compra de votos. O PT nunca teve apreço pela democracia, e isso está bem claro. Encara a eleição como uma farsa para chegar ao poder e lá ficar com meios ilegítimos.

O Brasil respira aliviado ao virar essa triste página. Mas precisa estar atento aos herdeiros do petismo, desse cinismo justificado pela ideologia socialista. Esse golpe fracassou. Mas outras tentativas virão.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.