O bem inestimável que Alexandre de Moraes fez à democracia

Crédito: Reprodução

(Crédito: Reprodução)

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, fez um bem inestimável à democracia e à vida saudável na mídia social. Mandou o Twitter e o Facebook “cancelarem” deputados, blogueiros e empresários bolsonaristas que provocam pânico e disseminam fake news na Internet, com ataques torpes a adversários do chefe deles, o presidente Bolsonaro.

Assim, Twitter e Facebook cancelaram as contas de gente nociva à democracia, como dezenas de investigados tanto por fake news quanto pelos atos antidemocráticos, como é o caso do blogueiro Allan dos Santos, que recebe dinheiro da Secom para promover Bolsonaro, e empresários como Otávio Fakhoury, dono do site “Crítica Nacional”.

Extremistas

Na lista estão ainda nomes como os de Luciano Hang, das Lojas Havan, e Edgard Corona, das Academias Bio Ritmo e Smart Fit, e o ex-deputado Roberto Jefferson. Mas não poderia faltar ainda Sara Geromini, a “Sara Winter”. Para burlar a ordem do STF, eles estão abrindo contas no exterior, operando-as daqui.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Veja também

+ Seu cabelo revela o que você come (e seu nível socioeconômico)

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Gésio Amadeu, o Chefe Chico de Chiquititas, morre após contrair Covid-19

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.