A relatora da CPMI dos Atos Antidemocráticos, senadora Eliziane Gama (PSD-MA), analisa documentos que revelam a ligação entre o empresário americano Daniel Beck, dono da Combat Armor Defense, o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do ex-presidente, e as compras bilionárias de equipamentos feitas pelo ex-diretor geral da Polícia Rodoviária Federal Silvinei Vasques. Os auditores da comissão descobriram que entre dezembro de 2020 e dezembro de 2022 a empresa fez vendas de equipamento de segurança à PRF, entre eles blindados, em contratos que superam R$ 100 milhões. Quando foi fundada no Brasil em março de 2019, a Combat Armor Defense registrou um capital social de R$ 1 milhão e o responsável no Brasil era Mauricio Junot de Maria. Em outubro passado, após as vendas à PRF, o capital cresceu para R$ 27,4 milhões. Daniel Beck foi um dos invasores do Congresso dos Estados Unidos na tentativa de anular a eleição de Joe Biden. O deputado Eduardo Bolsonaro estava nos EUA no mesmo período.

CPMI tem documentos que ligariam deputado Eduardo Bolsonaro a americano que vendeu armas para a PRF em contratos que superam os R$ 100 milhões

Congresso conta com 200 Frentes

Criadas para articular os congressistas em tema específico, as frentes parlamentares passaram a substituir as bancadas de deputados e senadores nos debates e definições da legislação. O Congresso registra, acredite, cerca de 200 frentes que tratam desde o apoio ao hip hop, do apoio ao bambu, até a que combate juros abusivos. Tem até frente em defesa do secretário parlamentar e de quem ocupa cargos especiais no Legislativo. Muitas delas se sobrepõem, como a do “Nordeste” e a que pede o “Fortalecimento do Nordeste”, a do “Empreendedorismo” e do “Empreendedorismo Paulista”. A da Agropecuária é uma das mais tradicionais e concorridas.

Cristofobia na pauta

<strong>PREFERENCIAL</strong> Hélio Negão foi um dos passageiros privilegiados na viagem que Bolsonaro e Paulo Guedes fizeram a Davos (Suíça) no começo do mês
Divulgação

Os congressistas católicos estão assustados com a pressão da bancada evangélica, em especial da Igreja Universal do Reino de Deus, para aprovar o PL que tipifica o crime de cristofobia. A pena varia de três a seis anos. A justificativa do deputado Hélio ‘Negão’ (PL-RJ) é que a perseguição aos cristãos cresce no Brasil. Mas não cita exemplos.

Haddad com a chave para abrir o cofre

Haddad: plano do ministro da Fazenda e de Alckmin segue orientação política do presidente Lula, diz analista (Crédito:Mateus Bonomi)
Mateus Bonomi

Os técnicos dos Ministérios da Fazenda, Gestão e Casa Civil estudam, a pedido do presidente Lula da Silva, uma proposta de emenda a ser enviada ao Congresso desvinculando parte dos recursos do Orçamento destinados obrigatoriamente aos Ministérios da Saúde e Educação. As despesas da União nestas áreas, que usam mão de obra intensiva, têm crescido em percentuais bem acima dos recursos destinados no Orçamento, comprometendo investimentos e custeios da infraestrutura. A desvinculação poderia abrir espaço de manobra contábil no caixa para investimentos em projetos escolhidos livremente pelo Executivo.

O Aras raiz está de volta?

Procurador-geral da República, Augusto Aras (Crédito:Reuters)

Se o presidente Lula da Silva mantiver no posto o Procurador Geral da República, Augusto Aras, a decisão terá mais lógica política. As ligações da família Aras com petistas remontam às eleições de 1986. Na época, o pai do atual chefe do MPF, o ex-deputado federal Roque Aras, concorreu (e perdeu) para senador pelo PT, na campanha que elegeu Waldir Pires governador da Bahia. Apesar de muito atacado por sua atuação considerada omissa em relação ao Governo Jair Bolsonaro e até chamado de bolsonarista, Aras – que nunca teve militância política – tem mais raiz petista do que muitos pensam.

Janja e fundo blindam Tarciana

É certeza entre portas partidárias que o Governo vai entregar a presidência do Banco do Brasil a algum partido que não seja o PT. Quem segura hoje a presidente do BB, Tarciana Medeiros, é a primeira-dama Janja Silva e o fundo Blackrock, um de seus padrinhos, com assento no conselho.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

Desafio dos Barbalho

O senador Jader Barbalho (MDB-PA) entrou no lobby pela aprovação da exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas no Amapá. Seu Estado, confrontante, vai lucrar muito sediando escritórios de petroleiras. Mas tem a COP 30 em 2025 no cronograma, no mesmo Pará governado pelo filho Helder, que vai receber ambientalistas de todo o mundo.

Descobriram a cadeia

O Governo quer investigar oficialmente (só agora) o que tem causado o aumento da inflação. O Decreto 11.597 da Casa Civil instituiu o Grupo de Trabalho Interministerial sobre “Resiliência em Cadeias de Valor”. Com membros de nove ministérios, tutelados pela Fazenda. A turma vai buscar soluções para estancar os índices.

NOS BASTIDORES

O velho PP voltou

Ciro Nogueira e Arthur Lira não se entendem sobre quem emplacar no comando da Caixa, presente de Lula para o PP. Ciro quer Gilberto Occhi. Lira, um executivo partidário.

Livros na Papuda

O ex-ministro do STF Ricardo Lewandowski doou sua ampla e eclética biblioteca para a Biblioteca Nacional. E parte deste acervo vai para o presídio da Papuda, em Brasília, sob gestão do Governo do DF

Marcha, soldado..

Um coronel do Exército tem circulado na tradicional Vila Planalto, atrás do Palácio. Segundo moradores, ele requer as casas da Fazendinha sob tutela do Governo do DF para implantar ONGs. A vila reivindica regularização desde os anos Sarney.

Acervo de Vladimir

O cineasta Vladimir Carvalho procura entidade interessada em receber a doação do seu acervo. Há livros, fotos e até o equipamento no qual o amigo Glauber Rocha editou “Deus e o diabo na terra do sol”.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias