Saúde da mulher

Nutricionista dá dicas para aproveitar as ceias sem ‘prejuízo’ na balança

Crédito: Freepik

As ceias de natal e ano novo são marcas registradas desta época do ano. A variedade de alimentos calóricos é irresistível, por isso o aumento de peso é tão comum após as festas. Segundo a nutricionista Andréia Carrara, as consequências da comilança ainda incluem: distensão abdominal, azia, má digestão, distúrbios intestinais, como constipação ou diarreia, ressaca, dor de cabeça e retenção hídrica (inchaço).  

+ Xô, coronavírus! Médicos dão dicas para realizar confraternizações seguras

+ Autoaceitação: como curtir o verão de bem com o biquíni

Apesar de parecer impossível, dá para aproveitar todos os pratos disponíveis na mesa sem medo da balança, afinal, os cardápios de natal e réveillon não são os maiores “vilões”. De acordo com a especialista, o resultado pós-ceias pode ser a soma de todos os hábitos não saudáveis ao logo do ano, bem como as mudanças de rotina durante o recesso — atividades físicas suspensas, encerramento do calendário esportivo e variedade de eventos festivos, como happy hour.

“Devemos nos preocupar não só com o que comemos no natal e ano novo, e sim com o que consumimos entre essas datas”, alerta. Ainda conforme Andréia, os maiores “erros” estão na quantidade e frequência no consumo de alimentos e bebidas calóricas, visto que as ceias se prolongam até os dias seguintes com as sobras.

As confraternizações tendem a ser compostas por preparações gordurosas, ricas em carboidratos refinados e doces. Entre os alimentos mais calóricos, que merecem atenção ao consumo, a nutricionista destaca: panetones/chocotones, salpicão, salada de maionese, sobremesas, carnes gordurosas e bebidas alcoólicas.

Como evitar o impacto calórico das ceias 

A preparação para essas datas deve fazer parte da rotina o ano inteiro, a partir de hábitos saudáveis, como práticas de atividades físicas regulares e alimentação balanceada. “Pessoas com boas condições de saúde não sofrem com o consumo de preparações mais calóricas. No entanto, para reduzir o impacto, o bom senso é fundamental”, declara, e ainda indica observar os sinais de fome e saciedade que o corpo manifesta, para evitar os excessos.

Durante as ceias, algumas medidas podem ser tomadas para aproveitar todo o cardápio sem “prejuízo” na balança. O “segredo” é consumir porções pequenas de cada preparação. “Dessa forma, é possível aproveitar de tudo, sem sofrer as consequências que o excesso de calorias nos traz”, garante Carrara.

O bom senso também é necessário para o consumo de bebidas alcoólicas. Além de evitar o excesso, para reduzir o risco de desidratação e ressaca, recomenda-se ingerir água entre uma dose e outra. 

Substituições inteligentes: saudáveis e saborosas

Algumas substituições inteligentes podem ser boas opções para incluir no cardápio, sem risco perder o sabor. “Precisamos considerar que o natal e o réveillon ocorrem no Brasil em pleno verão. Portanto, alimentos frescos são os mais indicados para a ocasião”, declara Andréia.

Além de trocar os refrigerantes e bebidas industrializadas por sucos naturais, a indicação é substituir os doces por frutas da época — pêssego, ameixa, nectarina, uva, melancia, melão, manga e abacaxi —  e a salada de maionese por saladas de vegetais, como rúcula, agrião, alface roxa, alface-americana, repolho roxo, tomate-cereja, cenoura e pepino. Outras opções saudáveis são as saladas de lentilha ou grão-de-bico com molho vinagrete.

Como recuperar o “prejuízo”

Pexels

Não existe dieta milagrosa para recuperar o “prejuízo”. Voltar ao peso pré-ceia requer tempo e dedicação. A especialista indica uma mudança no estilo de vida, com hábitos saudáveis diários, que incluem:

• Praticar atividade física;

• Tomar pelo menos 2 litros de água;

• Tomar um pouco de sol; 

• Comer legumes, verduras e frutas;

• Evitar carboidratos refinados (farinha branca), açúcares e gorduras;

• Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas.

“Todas essas medidas são ingredientes de uma receita para a vida saudável e sem preocupações para as ceias de fim de ano”, conclui a nutricionista.