Economia

Novos empréstimos caem quase pela metade na China em julho

Os bancos da China desaceleraram fortemente o ritmo de liberação de empréstimos em julho, à medida que a segunda maior economia do mundo deu mais sinais de que está se recuperando do choque da pandemia de coronavírus. Dados do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) mostraram nesta terça-feira, 11, que os bancos do país concederam 992,7 bilhões de yuans (US$ 142,8 bilhões) em empréstimos no mês passado, representando quase metade da soma de 1,81 trilhão de yuans verificada em junho.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

O resultado de julho ficou abaixo da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 1,275 trilhão de yuans em novos empréstimos.

O financiamento social total, uma medida mais ampla do crédito na economia chinesa, também sofreu forte queda entre junho e julho, de 3,43 trilhões de yuans para 1,69 trilhão de yuans.

Já a base monetária da China (M2) teve acréscimo anual de 10,7% em julho, ficando bem abaixo do avanço de junho e da projeção do mercado, de 11,1% em ambos os casos.

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea