Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O Ministério da Saúde apresentou o impacto financeiro do projeto de lei do piso salarial da enfermagem (PL 2295/2000), aprovado recentemente no Senado: R$ 22,5 bilhões ao ano, somando os setores público e privado. Foi durante a audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, na última quarta-feira.

No começo de setembro, o ministro Marcelo Queiroga recebeu parlamentares e representantes de entidades nacionais da Enfermagem. No encontro, ficou definido que a equipe técnica do ministério realizaria estudos de impactos orçamentários relacionados à regulamentação da jornada de trabalho de 30 horas e do estabelecimento do piso salarial.

Quase dois meses depois, sem terem recebido qualquer informação, os presidentes das frentes parlamentares da Enfermagem, Célio Studart (PV-CE), e das 30h, Mauro Nazif (PSB-RO), enviaram ofício ao ministro. Somente na audiência veio a bomba.

Agora, a Câmara busca agora uma solução para o financiamento do piso. Para o deputado Célio Studart, é preciso uma solução urgente. Considerados heróis na pandemia, os mais de 2,5 milhões de profissionais do setor reivindicam um piso justo.