Tecnologia & Meio ambiente

Novartis pagará mais de US$ 700 mi para encerrar processos nos EUA

Novartis pagará mais de US$ 700 mi para encerrar processos nos EUA

Novartis concordou em pagar mais de US$ 700 milhões para encerrar os processos nos quais é ré nos Estados Unidos - AFP/Arquivos

A Novartis concordou em pagar mais de US$ 700 milhões para encerrar os processos nos quais é ré nos Estados Unidos, país onde a empresa farmacêutica suíça é acusada de subornar médicos.

“Os acordos confirmam o compromisso da Novartis em resolver questões relacionadas ao cumprimento da lei”, declarou em nota o presidente-executivo do grupo, Vas Narasimhan.

O primeiro acordo extrajudicial alcançado entre o grupo e a Justiça americana está relacionado ao uso fraudulento de três fundações, por parte da Novartis, para acobertar os custos de tratamento dos pacientes que usavam dois de seus medicamentos – o Gilenya, para esclerose múltipla, e o Afinitor, para câncer de rim.

Novartis pagará mais de US$ 51 milhões para liquidar este caso.

O segundo acordo diz respeito à acusação de pagamento de subornos da empresa suíça a médicos e gerou uma multa de US$ 678 milhões.

+ Menina engasga ao comer máscara dentro de nugget do McDonald’s

Nesse caso, o grupo é acusado de gastar milhões de dólares em milhares de programas de conferências. Segundo a Justiça americana, tratava-se, na verdade, de uma maneira disfarçada de “pagar propina” aos médicos.

“Por meio deste e de outros acordos, o governo demonstra seu compromisso em garantir que as empresas farmacêuticas não usem subornos para influenciar médicos e pacientes a prescreverem e a comprarem certos medicamentos”, disse Jody Hunt, adjunto do Departamento de Justiça, citado em comunicado.

Com frequência, a Novartis escolhia como palestrantes de seus eventos públicos médicos que já haviam receitado grandes quantidades de seus medicamentos, em troca de uma quantia em dinheiro para incentivá-los a continuarem a prescrevê-los.

Esses métodos da indústria farmacêutica são denunciados com recorrência.

Os julgamentos de suborno começaram após uma denúncia apresentada em 2011 pelo cidadão Oswald Bilotta, que “receberá uma recompensa, cuja quantia ainda não foi determinada”, diz o comunicado.

Como parte da negociação, a Novartis aceitou assinar um código de boa conduta de cinco anos de duração.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?