Medicina & Bem-estar

Nova vacina contra herpes-zóster

Medicação recém-aprovada nos Estados Unidos demonstra mais de 90% de eficácia na prevenção da doença. É a mais alta obtida até hoje

Crédito: Wavebreakmedia

Crises de herpes-zóster costumam ser bastantes dolorosas. A doença é causada pelo mesmo vírus que provoca a catapora. Na herpes, ele fica dormente na base dos nervos e pode ser reativado com o enfraquecimento do sistema de defesa do corpo. Quando isso acontece, surgem bolhas na pele – no mesmo caminho do nervo acometido -, causando coceira e dor, entre outros sintomas. Mesmo após a crise, a dor pode continuar por meses e até anos. Recentemente, o FDA, agência responsável pela liberação de remédios nos Estados Unidos, aprovou a opção mais eficaz para prevenção da doença criada até hoje. Trata-se da vacina Shingrix, do laboratório GlaxoSmithKline. Nos estudos que embasaram sua liberação, o remédio garantiu proteção contra o vírus a mais de 90% dos vacinados, independentemente da idade. A única vacina disponível atualmente (Zostavax, da MerckVaccines) previne a enfermidade em 60% dos indivíduos. Acima dos 70 anos, sua eficácia cai a 40%.

O remédio é indicado para indivíduos com idade acima de 50 anos, os mais atingidos por causa do enfraquecimento natural das defesas que ocorre com o envelhecimento. Embora represente a população mais vulnerável, é exatamente para esse grupo que a vacina antiga apresenta maior risco. Como ela é feita com vírus atenuado, tem risco de causar a doença em vez de preveni-la, em especial para quem está com as defesas fragilizadas. “É uma contraindicação justamente para quem mais precisa da vacina”, afirma o médico Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBim). O novo remédio, no entanto, é feito com fragmentos do vírus. Isso evita que cause a doença.

Bom potencial

Dias após sua aprovação pelo FDA, a vacina recebeu a recomendação do Centro de Controle de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, responsável por pesquisa e monitoramento de doenças infecciosas. O órgão orientou, inclusive, que seja dada preferência ao imunizante em detrimento da Zostavax. “A nova vacina realmente vem com um potencial muito bom”, afirma Kfouri. Não se sabe quando ela será liberada no Brasil. No entanto, embora esteja indicada pela SBim para quem tem mais de 60 anos, nem mesmo a Zostavax é oferecida pela rede pública de saúde.

Mais proteção
A herpes-zóster é causada pelo mesmo vírus responsável pela catapora, o varicella-zóster

• Ele fica dormente nos nervos e pode ser reativado quando as defesas do paciente estão diminuídas
• Por essa razão, sua manifestação é mais comum a partir dos 50 anos, quando o sistema imunológico começa a perder força
• Metade de quem chega aos 80 anos já teve ao menos uma crise da doença

O que provoca
• Erupções na pele (acompanham o caminho do nervo acometido) que causam coceira e dor
• A dor pode permanecer até anos depois das crises
• Outros sintomas são febre, dor de cabeça e distúrbios gastrointestinais

Como funciona a vacina
• É feita com fragmentos do vírus (não provoca doença), ao contrário da única opção existente até hoje, produzida com vírus enfraquecido (oferece risco de causar crises)
• São necessárias 2 doses para a completa imunização
• Indicada para maiores de 50 anos

Eficácia
• Preveniu a doença em 90% dos vacinados
• A disponível atualmente tem eficiência de 60% e, em pessoas com mais de 70 anos, de 40%