O Dia

Nova Iguaçu vai criar guarda municipal

Prefeito Rogerio Lisboa encaminhou projeto de lei à Câmara de Vereadores propondo a criação do grupamento e intenção é realizar o concurso público ainda este ano

O prefeito Rogerio Lisboa encaminhou à Câmara de Vereadores projeto de lei dispondo sobre a criação da Guarda Municipal de Nova Iguaçu. A assinatura do documento foi realizada nesta terça-feira, dia 20, durante a solenidade de formatura dos novos integrantes da Guarda Ambiental Municipal (GAM). O prefeito pediu urgência aos vereadores na votação do projeto de lei. A intenção da prefeitura é realizar o concurso público para seleção dos guardas ainda este ano. Serão 400 vagas, com percentual mínimo de 15% para mulheres.

“A Guarda Municipal é uma necessidade real para a cidade e um desejo antigo da população. Irá, junto com os agentes do Segurança Presente, que trouxemos este mês para Nova Iguaçu em parceria com o Governo do Estado, trazer mais segurança para população. A meta é realizar o concurso ainda este ano para que eles já comecem a atuar logo no início de 2020”, disse o prefeito, que participou da formatura dos 12 novos guardas ambientais da cidade.

Com a chegada dos novos servidores, a Guarda Ambiental de Nova Iguaçu passa a contar com 30 agentes, que têm como missão fiscalizar e proteger as áreas ambientais do município, como a Serra de Madureira e o Parque Municipal Natural, além de combater incêndios nas matas, entre outras atribuições ligadas a preservação ambiental.

O prefeito enfatizou a importância da chegada dos novos Guardas Ambientais. “Nova Iguaçu funciona com a ajuda de seus servidores, que são um orgulho para a cidade. O trabalho desses guardas é árduo, cuidam e protegem nosso patrimônio ambiental, merecem todo nosso reconhecimento”, afirmou.

Esta foi a segunda turma de guardas ambientais concursados em Nova Iguaçu. Os agentes foram aprovados no concurso realizado em 2016 e convocados este ano pela prefeitura. Eles passaram por duas semanas intensas de capacitação, com treinamento de combate à queimadas, conhecimentos de biologia, sobrevivência na mata, primeiros socorros, entre outros cursos.

“Nossa meta é atuar não somente no combate, como na prevenção. A Chegada desses agentes é muito importante para ampliar nosso trabalho, já que cerca de 65% de Nova Iguaçu é de área de preservação”, afirmou o guarda ambiental e coordenador da nova turma, Marcelo Gonçalves da Silva.

Manoel Sebastião Vasconcelos, de 42 anos, é um dos novos guardas. Ele disse que se sente orgulhoso de poder proteger parte da área ambiental da Baixada Fluminense. “É a realização de um sonho, poder defender aquilo que nos proporciona tanta qualidade de vida, que é a natureza. É um trabalho em conjunto, população e guarda ambiental. Quero contribuir e muito para o trabalho da Guarda Municipal de Nova Iguaçu”, afirmou Manoel, que é morador de Queimados.

O secretário de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fernando Cid, disse que a administração municipal está investindo em um plano de ampliação de combate a crimes ambientais, prevenção e conscientização. “Muitas das queimadas são provocadas por pessoas que moram perto das matas e queimam lixo ou fazem queimada proposital para caça”, alerta Cid.

Ele explica que o aumento do efetivo da Guarda Ambiental trará resultados positivos, como a redução das áreas destruídas por incêndios florestais em Nova Iguaçu nos últimos anos. Em 2017, foram 21 incêndios que destruíram cerca de 674 hectares; em 2018, dez queimadas, com destruição de 271 hectares. Em 2019, até agosto foram 10 incêndios com a perda de 128 hectares.