Economia

Nos EUA, Nancy Pelosi diz que US$ 2,2 tri em estímulos podem ser insuficientes

Presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi insistiu nesta sexta-feira na necessidade de mais medidas de estímulo fiscal, a fim de apoiar a economia dos Estados Unidos. Durante entrevista à Bloomberg TV, Pelosi afirmou que as necessidades de estímulo “estão apenas crescendo”, diante do choque da pandemia.

Pelosi voltou a comentar a divergência sobre um novo pacote fiscal com a situação republicana no Legislativo e a Casa Branca. Na avaliação dela, os US$ 2,2 trilhões em estímulos, atualmente em consideração, podem ser insuficientes diante das necessidades.

A liderança democrata também ressaltou que é crucial financiar Estados e municípios, que enfrentam gastos maiores com a pandemia, na saúde pública mas não apenas nela, enquanto perderam receita.

A presidente da Câmara dos EUA lembrou que, em meio aos projetos do presidente Donald Trump para levar as crianças de volta à escola, é preciso haver verbas para isso. “Levar crianças de volta à escola em segurança exige dinheiro.”

Questionada se algum acordo seria melhor que nenhum acordo sobre as medidas fiscais, ela respondeu que não necessariamente, renovando as críticas aos republicanos que, segundo ela, almejam verba insuficiente diante do tamanho do choque econômico.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar