Chico Buarque completa 80 anos nesta quarta-feira, 19 de junho, e agora ele passa a fazer parte da lista dos artistas da MPB que já viraram “oitentões”, ao lado de Gilberto Gil, Milton Nascimento e Caetano Veloso. Em sua homenagem, o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) fez um levantamento musical para apontar as canções do artista que o Brasil mais ouviu nos últimos cinco anos.

‘Iolanda’, música de Chico em parceria com o cubano Pablo Milanés, se destacou no estudo e figurou na primeira colocação do ranking das mais tocadas. ‘A banda‘ e ‘João e Maria‘ completaram o Top 3. Entre as canções do artista mais regravadas, a liderança ficou com ‘Gente Humilde’, composição em parceria com Vinicius de Moraes e Garoto.

Outro levantamento mostra os intérpretes que mais gravaram as canções de autoria de Chico Buarque até agora. Nas cinco primeiras posições, ficaram Maria Bethânia, Edu Lobo, Magro Waghabi, Miltinho e Aquiles Rique Reis, sendo que os três últimos fizeram parte do grupo MPB4.

Chico Buarque coleciona mais de 530 obras musicais e mas de 1.300 gravações cadastradas na gestão coletiva da música no Brasil. As obras musicais são as suas composições, com letra e/ou melodia e em parceria ou não. Já as gravações são registros de obras musicais disponibilizadas em forma digital, como no streaming, ou em suporte físico, como em um DVD. Com isso, uma mesma obra musical pode ter diferentes gravações, como, por exemplo, a original, uma versão acústica ou um show gravado para um DVD.

O cantor tem os seus direitos autorais de execução pública garantidos no Brasil por fazer parte da gestão coletiva e manter o seu repertório atualizado. É desta forma que as suas canções podem ser identificadas pelo Ecad quando tocam publicamente em locais de frequência coletiva.

No entanto, os valores em direitos autorais só podem ser recolhidos e repassados para o artista quando as pessoas e empresas que utilizam a música fazem o pagamento referente ao licenciamento musical, que é garantido pela Lei 9.610/98.