Geral

No Dia Internacional das Florestas, projeções em SP e Brasília convidam para plantar um novo futuro

Crédito: Divulgação

No dia 21 de março, proclamado pela Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) como Dia Internacional das Florestas, projeções em espaços públicos de São Paulo e Brasília vão convidar a população a se juntar à Rede de Sementes do Xingu e ao Instituto Socioambiental (ISA), que juntos já restauraram quase 7 mil campos de futebol de florestas nas bacias dos rios Xingu, Araguaia e Teles Pires, em Mato Grosso.

As projeções serão realizadas em São Paulo (Minhocão e Praça Roosevelt) e Brasília (Biblioteca Nacional) e chamam o público para assistir ao filme em realidade virtual Fazedores de Floresta – Uma Aventura em Busca da Água, disponível de forma gratuita em versões em português, português com audiodescrição e inglês no Youtube.

O filme leva o espectador a uma imersão na experiência do ISA e da Rede de Sementes do Xingu, que criaram uma das estratégias mais inovadoras e eficazes para a restauração das florestas brasileiras.

Narrado por Milene Alves, uma das mais de 560 coletoras de sementes espalhadas pela região, o filme mostra de perto o funcionamento da Rede de Sementes do Xingu e de seus parceiros do ISA, que realizam os plantios e monitoram o crescimento das árvores. Já são quase 25 milhões delas.

Ao longo de nove minutos, o documentário apresenta, também, como grupos com interesses distintos conseguem dialogar e se unir para plantar as florestas do futuro.

“Não proteger as áreas de nascentes e de beiras de rio gera um risco não apenas para a floresta, mas também para a agropecuária. Ter a floresta de volta é bom pra todo mundo”, afirma Alves ao apresentar, durante o filme, o trabalho de restauração florestal.

Geração de vida, geração de renda

Há 15 anos, o ISA e a Rede de Sementes do Xingu vêm unindo saberes de povos indígenas e comunidades tradicionais com tecnologia de ponta para trazer a biodiversidade e a água de volta para a região e movimentar a economia local, ajudando produtores rurais a restaurar áreas de nascentes e beira de rio.

A partir da coleta de sementes nativas, a rede movimenta uma cadeia socioeconômica que valoriza o conhecimento tradicional das comunidades, impulsiona o equilíbrio socioambiental e melhora o bem estar dos moradores da região.

Até 2021, 294 toneladas de sementes de mais de 220 espécies nativas foram coletadas, gerando uma renda de R$ 5,3 milhões para os coletores e suas comunidades. Essa estratégia se torna ainda mais potente quando produtores rurais reconhecem que o conhecimento tradicional e a tecnologia atuam em seu favor, e ajudam a restaurar florestas que beneficiam suas lavouras, o equilíbrio climático regional e o regime de chuvas em todo o país.

“Fazedores de Floresta” é dirigido por Tadeu Jungle e uma produção da Junglebee, em parceria com o Instituto Socioambiental (ISA) e a Associação Rede de Sementes do Xingu e tem apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, PNUMA e da Década da ONU da Restauração de Ecossistemas.

A Década da ONU da Restauração de Ecossistemas tem como objetivo inspirar e apoiar governos, organizações multilaterais, sociedade civil, empresas do setor privado, jovens, grupos de mulheres, povos indígenas, agricultores, comunidades locais e indivíduos em todo o mundo, para colaborar, desenvolver e catalisar iniciativas de restauração em todo o mundo.

A produção do filme contou com apoio da União Europeia, Good Energies, Rainforest Foundation Norway, Amazonia Live/Rock in Rio, Funbio e Conservação Internacional (CI).