ISTOÉ Gente

Nívea Stelmann fala sobre ter deixado o Brasil: “Medo de viver”

Crédito: Reprodução/Instagram

Nível Stelmann está morando nos Estados Unidos há seis anos, e diz que não pensa em voltar ao País. Em live com a ex-BBB Mariana Felício, ela falou sobre o que a motivou a deixar o Brasil. “Queria poder dar uma vida mais tranquila para os meus filhos”, afirmou.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Além disso, comentou que não conseguia se sentir segura no Rio, após ter sido assaltada quatro vezes: “Fui desenvolvendo uma síndrome do pânico, um medo de viver. E eu sou uma pessoa para cima, e estava ficando muito deprimida e para baixo no Brasil.

“Amo o país, mas infelizmente nós temos essa problema de violência que é muito gritante, principalmente quem é mãe. Vivia com medo de que alguma coisa acontecesse com meu filho. Então, recebi tentar uma vida mais tranquila aqui. Não vou mais voltar para o Brasil”, completou.

Assista a live completa abaixo:

View this post on Instagram

A post shared by Mariana Felício (@marianafelicioreal) on

 

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea