A Nicarágua nomeou um embaixador não residente no Afeganistão e agradeceu ao governo talibã pelo beneplácito concedido a seu diplomata, segundo informações publicadas na imprensa neste sábado (22).

“Agradecemos ao Emirado Islâmico do Afeganistão, a esse povo, a esse governo, pelo beneplácito que entregou a nosso companheiro, Michael Campbell” como embaixador, disse a vice-presidente, Rosario Murillo, na sexta-feira, segundo o portal governista El19digital.

“Muitíssimo obrigada a esse povo e, especialmente, ao líder supremo do Emirado Islâmico do Afeganistão e ao Chanceler”, ressaltou Murillo, esposa do presidente Daniel Ortega.

Atualmente, Campbell é embaixador concorrente da Nicarágua na China e de seu gabinete em Pequim vai gerenciar as relações entre o país centro-americano e o Afeganistão.

A Nicarágua se torna, assim, um dos poucos países a ter diplomatas credenciados junto ao governo do Afeganistão, chefiado pelo líder supremo dos talibãs, Hibatullah Akhundzada.

Os talibãs voltaram ao poder em agosto de 2021, após a retirada das tropas dos Estados Unidos e seus aliados.

Desde que voltaram ao poder, os talibãs aplicam uma interpretação ultra-rigorosa do islã, intensificando as medidas contra as liberdades das mulheres em particular, uma política qualificada de “apartheid de gênero” pela ONU.