Geral

‘Nenhuma de nós’ maltratava as crianças, diz irmã de diretora de escola acusada de tortura

Crédito: Reprodução

Fernanda Carolina Rossi Serme é vice-diretora da escola acusada de maus tratos (Crédito: Reprodução)

A pedagoga Fernanda Carolina Rossi Serme da Silva, de 37 anos, defendeu ela e a irmã Roberta Regina Rossi Serme Coutinho da Silva, de 40, das acusações de maus-tratos e tortura contra crianças da escola infantil Colmeia Mágica. A mulher foi presa em Mogi das Cruzes na segunda-feira (25). As informações são do G1.

Questionada por repórteres sobre quem maltratava as crianças, ela respondeu: “nenhuma de nós. Isso vai ser provado”. O advogado de defesa das irmãs, André Dias, também afirma que não enxerga nenhuma fundamentação para que fosse decretada a prisão preventiva de Fernanda, uma das donas da escola.


De acordo com a polícia, a pedagoga se entregou sem resistir ao ser comunicada sobre o mandado de prisão preventiva. Roberta, irmã de Fernanda, segue foragida desde que teve o mandado de prisão decretado.

Além das duas irmãs, a Polícia Civil também indiciou a auxiliar de limpeza da creche, Solange da Silva Hernandez, de 55 anos. As três respondem por maus-tratos, tortura, associação criminosa, perigo de vida e constrangimento contra crianças. A polícia não pediu a prisão de Solange.

Relembre o caso

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram pelo menos quatro crianças chorando amarradas, com os braços presos por panos, como se estivessem imobilizadas por ‘camisas de força’. Em uma das gravações, as crianças estão dentro de um banheiro, sentadas em cadeirinhas de bebês, no chão, embaixo de uma pia e próximas ao vaso sanitário.

Segundo o advogado da instituição, as crianças que aparecem nos vídeos que circulam nas redes sociais teriam sido colocadas propositalmente nas posições em que são vistas.

Em depoimento, as três investigadas negaram as acusações e se declaram inocentes.