Geral

“Não existe racismo no Brasil”, diz Mourão após morte de negro em supermercado

Crédito: AFP

O vice-presidente Hamilton Mourão (Crédito: AFP)

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira (20) que não existe racismo no Brasil e classificou como “lamentável” a morte de João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, que foi morto por dois seguranças brancos em um supermercado em Porto Alegre. As informações são do jornal Extra.

Questionado sobre o caso ao chegar no Palácio do Planalto no início da tarde, Mourão afirmou que a equipe de segurança do local estava “totalmente despreparada”.

“Lamentável. A princípio, a segurança (estava) totalmente despreparada para a atividade que tem que fazer”, disse. Em seguida, o ex-presidente foi perguntado se via racismo no caso. “Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil, não existe aqui.”

Durante a explicação, o vice-presidente fez uma comparação do Brasil com os Estados Unidos. “Eu digo para você com toda tranquilidade: não tem racismo. Eu digo isso para vocês porque eu morei nos Estados Unidos. Racismo tem lá. Eu morei dois anos nos Estados Unidos. Na minha escola, que eu morei lá, o pessoal de cor, ele andava separado. Eu nunca tinha visto isso aqui no Brasil”, justificou.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Idoso morre após dormir ao volante e capotar veículo em Douradoquara; neto ficou ferido
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel