Esportes

Galvão Bueno explica polêmica e elogia Band após criticar a Fórmula 1

Narrador postou uma resposta a quem disse em sua primeira publicação que ele não faria o mesmo comentário se o produto ainda estivesse na Globo

Galvão Bueno explica polêmica e elogia Band após criticar a Fórmula 1

Galvão criticou direção da Fórmula 1 (Foto: Reprodução)


Com a Fórmula 1 fora da Globo, Galvão Bueno usou as redes sociais para criticar a direção da Fórmula 1, que permitiu a corrida após quase três horas de paralisação. Nos comentários da publicação, muitos internautas apontaram uma possível ‘inveja’ ou ‘esculhambação’, pelo fato da Globo não ter mais os direitos de transmissão.

+ Fórmula 1 atrasa, e Mariana Becker bebe chá, apresenta amigo e brinca na chuva

+ Real Madrid e PSG voltam a negociar transferência de Mbappé

+ Corinthians pode ficar com 4 jogadores que estiveram na última Copa

“Ridícula a decisão da direção da F1 no GP da Bélgica. Não houve corrida porque a forte chuva não permitia. E depois de quase três horas de espera foram só “falsas” três voltas! Enganaram o público e os telespectadores”, disse ele, no domingo.

Horas depois, Galvão reapareceu na internet para explicar a critica e elogiar a equipe de transmissão da Band, formada pelos ex-colegas da Globo Reginaldo Leme, Mariana Becker, Sérgio Mauricio, entre outros.

“Antes que fique algum mal-entendido: continuo fã da F1! O trabalho da equipe da Band é bom! As críticas são para a direção da F1!”, ressaltou o narrador.

O temporal de proporções bíblicas que desabou em Spa-Francorchamps neste domingo (29) impediu, na prática, a realização do GP da Bélgica, 12ª etapa do Mundial de Fórmula 1. A direção de prova tentou de todas as formas esperar por uma melhora das condições, extremamente críticas, desde o horário previsto para o início da disputa, às 10h (de Brasília).

A bandeira vermelha interrompeu o primeiro procedimento de largada logo no início, e daí em diante foram mais de três horas de espera para que os carros voltassem à pista. Neste momento, o cronômetro disparou uma contagem regressiva de 60 minutos, e a prova foi considerada válida a partir do momento em que foram completadas duas voltas, atrás do safety-car, quando houve nova interrupção.

Daí em diante, foi somente esperar dar os 60 minutos previstos, mas a prova foi oficialmente encerrada até antes disso. Por motivos de segurança, não houve como uma corrida pra valer ser realizada. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) desconsiderou a possibilidade de transferir a etapa para segunda e deu por concluído, então, o GP da Bélgica.

Saiba mais
+ Homem acusado de matar a mãe e a tia é retirado de audiência por miar
+ Receita fácil de cupcakes para comemorar o Halloween
+ As 20 Picapes mais vendidas em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Sprinter vira motorhome completo; conheça o modelo
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio