Esportes

Na primeira final do Campeonato Paulista, Audax desafia a hegemonia do Santos

Desde 2009, por oito anos consecutivos, só deu Santos na final do Campeonato Paulista. A sequência, que igualou um feito da era Pelé, rendeu quatro títulos. O oposto disso tudo é o Audax, que surpreendeu e pela primeira vez chega à decisão do Estadual. A tradição e o ineditismo se enfrentam neste domingo, às 16 horas, no estádio José Liberatti, em Osasco (SP).

Ao contrário das quartas e das semifinais, a final é disputada em dois jogos, neste domingo e no próximo, na Vila Belmiro. Graças à melhor campanha, o Santos decidirá em casa. É a única vantagem definida no regulamento: se houver dois resultados iguais, o título será definido na disputa de pênaltis.

O Santos tem o favoritismo pela história, pelo peso da camisa e por ter em seu elenco, muito mais caro, jogadores de seleção brasileira. Basta ver seu setor ofensivo: Gabriel, Lucas Lima e Ricardo Oliveira. O que tem o Audax? É o time que destroçou o São Paulo, ao vencer o jogo das quartas de final por 4 a 1, e eliminou o Corinthians, nos pênaltis, no estádio Itaquerão, jogando de igual para igual contra o atual campeão brasileiro.

Ou seja: a campanha surpreendente que o time do técnico Fernando Diniz fez na primeira fase foi confirmada diante dos grandes da capital. Sem medo, o Audax encontrou um modo particular de jogar, que não se intimida, nem mesmo na casa do adversário.

Não há nenhuma semelhança com a campanha do Ituano, em 2014, que conquistou o título com uma proposta de jogo defensiva. Por isso, o Audax não será subestimado pelo técnico Dorival Júnior. “Acho que corremos um risco muito grande. Primeiro porque o Audax tem um trabalho e um conceito de jogo que é aprimorado a todo momento. Não foi por acaso que tirou os adversários que tirou”, afirmou o treinador do Santos.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Fernando Diniz também elogiou o rival. Disse que é um adversário que precisa ser respeitado e requer atenção. No entanto, sua receita para ser campeão é não inventar nada de última hora. “Não tenho nenhuma carta na manga”, disse o técnico do Audax. “Vamos jogar como sempre jogamos até aqui, procurando apenas melhorar, evoluir…”

Os times estão praticamente definidos. A única dúvida no Santos é a escalação do zagueiro David Braz, que se recupera de uma entorse no tornozelo esquerdo. Dorival Júnior mantém o esquema tático 4-3-3, apostando no trio da seleção Lucas Lima, Gabriel e Ricardo Oliveira.

Do outro lado, Fernando Diniz não tem problemas e vai repetir a escalação que eliminou o Corinthians no Itaquerão com Sidão no gol e os destaques Tchê Tchê, Camacho e Bruno Paulo. É nesses jogadores, que já negociam transferência para outros clubes, que o time do Audax se escora para ser campeão.

“Já deixamos a nossa marca, que é a maneira como estamos jogando. Claro que vamos fazer o melhor possível e todo mundo tem chance de ganhar. Mas não penso que para deixar sua marca na história é preciso conquistar um título”, afirmou Fernando Diniz.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Ticiane Pinheiro posa de maiô decotado e internautas suspeitam de gravidez
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel