Brasil

Na Câmara de São Paulo, Bruno Covas terá oposição fortalecida

Na Câmara de São Paulo, Bruno Covas terá oposição fortalecida

Bruno Covas (PSDB) durante comício no centro de São Paulo, em 25 de novembro de 2020 - AFP

Após obter o apoio de 16 partidos ao longo da campanha, o prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB) deve ter uma base confortável na Câmara de São Paulo, mas terá de negociar maioria pra aprovar projetos no segundo mandato. O que deve mudar a partir de 2021 é a capacidade da oposição em obstruir votações em plenário. Reforçado após ter a bancada triplicada, o PSOL, com seis vereadores eleitos, vai se unir aos oito parlamentares do PT.

Mas, se as urnas deram mais poder aos representantes da esquerda na Casa, os partidos aliados formalmente a Covas, incluindo o PSDB, conseguiram eleger 25 dos 55 representantes, número muito próximo do quórum necessário para a aprovação da maioria dos projetos, que é de 28. Assim como os petistas, os tucanos alcançaram oito cadeiras e devem, mais uma vez, influenciar na escolha do próximo presidente.

Com o apoio de Covas e do vice eleito em sua chapa, Ricardo Nunes (MDB) – além do respaldo do governador João Doria (PSDB) -, o nome da base para o cargo deve ser o de Milton Leite (DEM), segundo vereador mais votado, com 132 mil votos.

Chamado pelos colegas de “primeiro-ministro”, tamanha sua influência na Prefeitura, Leite tentará repetir a dobradinha da atual legislatura, quando ocupou a presidência nos dois primeiros anos e depois avalizou um nome do PSDB. Desde o ano passado, o presidente é o tucano Eduardo Tuma.

Com o apoio de partidos que tiveram candidaturas próprias, mas que estiveram com o prefeito no segundo turno – caso do Republicanos, de Celso Russomanno, e do PSD, de Andrea Matarazzo -, a tendência é que Leite seja eleito e Covas possa ampliar ainda mais sua base.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Em matérias mais importantes, como uma revisão do Plano Diretor, é preciso ter quórum qualificado, ou 60% dos votos do plenário. Republicanos e PSD terão sete vereadores a partir do ano que vem e podem ser decisivos em projetos desse tipo.

A lista se completa com o PSL, de Joice Hasselmann, o Novo e o Patriota, que teve como candidato Arthur do Val. Ele não declarou apoio a Covas na reta final da campanha. A expectativa, no entanto, é que, mesmo sem compor oficialmente a base, as três siglas possam se aliar ao governo a depender do tema que estiver em pauta.

Para o vereador Aurélio Nomura (PSDB), que foi líder da gestão Doria na Câmara, a base pode ter problemas só mesmo quando a matéria exigir voto qualificado. “Sabemos que teremos mais dificuldade nas aprovações por causa de procedimentos do regimento (que permitem que a oposição atrase uma votação), mas quem tem voto precisa ter paciência”, disse.

Reforço

Na análise do vereador Police Neto (PSD), que após cinco mandatos consecutivos não foi reeleito, a oposição pode, desta vez, impor dificuldades ao prefeito, após anos de alinhamento entre Legislativo e Executivo em São Paulo – além de Covas e Doria, os ex-prefeitos Fernando Haddad (PT) e Gilberto Kassab (PSD) conseguiram formar maioria para aprovar seus projetos de maior relevância.

“Bruno Covas terá enormes dificuldades. Pela primeira vez, em muito anos, não teremos uma maioria consolidada antes da posse do prefeito e respectivos vereadores. Esse debate democrático é bom para a cidade. Tende a qualificar os diálogos e intensificar a participação da sociedade. Todos ganham, inclusive o prefeito”, afirmou Police.

Apesar de já ter obtido vitórias relevantes na Câmara, como a aprovação das reformas previdenciária e administrativa, Covas tem uma fila de projetos aguardando por votação na Casa. Algumas das apontadas como prioritárias pela Prefeitura são as propostas de requalificação urbanística de regiões específicas da cidade, como o centro e o bairro da Vila Leopoldina, na zona oeste.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Ticiane Pinheiro posa de maiô decotado e internautas suspeitam de gravidez
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel