Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A cantora ucraniana Zi Faámelu, que mora em Kiev, relatou dificuldades para deixar o país por ser uma mulher trans. Em entrevista à revista Vice World News, Zi explicou que seus documentos de identificação estão no sexo masculino.

Conforme a cantora, o processo para mudar o nome nos documentos oficiais no país são burocráticos e abusivos, por isso a maior parte das pessoas trans na Ucrânia ainda carrega os documentos de batismo.

Desde de que o ataque russo começou, na última quinta-feira (24), homens entre 18 e 60 anos foram proibidos de deixar o país.

“Pessoas trans agora se sentem esquecidas, negligenciadas, abandonadas. Nós realmente somos invisíveis no momento. Nós precisamos das Nações Unidas, nós precisamos de organizações dos direitos humanos. Precisamos de pessoas para nos ajudar a sermos percebidas”, afirmou Zi à Vice.

Segundo a reportagem da revista, mulheres trans estão sendo aconselhadas por grupos de direitos humanos a “perder” o documento de identidade a fim de sair da Ucrânia. Na quinta-feira (3), Zi relatou em seu Instagram que conseguiu deixar a capital do país e pretende atravessar a fronteira nos próximos dias.

“Eu não quero pegar em uma arma e matar pessoas. Estou aqui para curar, para ajudar os necessitados. Para falar por aqueles que vivem nas sombras. Negligenciados e abandonados”, escreveu Zi.