Cultura

Mulheres dominam no prêmio literário da Biblioteca Nacional

As mulheres são as grandes vencedoras do prêmio literário da Biblioteca Nacional deste ano, dominando três categorias: conto (Marta Barcellos, por Antes que Seque), poesia (Adélia Prado, por Poesia Reunida) e romance (Sheyla Smanioto, por Desterro). Coincidentemente, as três autoras foram publicadas pela mesma editora, Record. Os vencedores das nove categorias do Prêmio Literário da Biblioteca Nacional 2016 foram anunciados hoje, 18, pela Fundação Biblioteca Nacional. Eles vão receber R$ 30 mil (cada categoria) no dia 12 dezembro, em cerimônia a ser realizada na Biblioteca Nacional.

Além das autoras citadas, foram também contemplados com o prêmio o escritor Murilo Marcondes de Moura (na categoria ensaio, por O Mundo Sitiado: a Poesia Brasileira e a Segunda Guerra Mundial), Douglas Attila Marceklino (categoria ensaio social, por O Corpo da Nova República: Funerais Presidenciais, Representação Histórica e Imaginário Político), Eliando Rocha (na categoria literatura infantil, por Roupa de Brincar), Érica Bombardi (na categoria literatura juvenil, por Canto do Uirapuru), Raquel Matsushita (categoria projeto gráfico, pela coleção Pedro Fugiu de Casa) e José Roberto Andrade Féres (pela tradução de O Sumiço, publicado pela editora Autêntica). O prêmio da Biblioteca Nacional é realizado anualmente desde 1994.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior