Geral

Mulher é presa suspeita de aliciar brasileiros detidos com drogas na Tailândia

Crédito: Divulgação/Polícia Federal

Câmera de segurança registrou o momento em que Mary Hellen chegou no aeroporto de Curitiba (Crédito: Divulgação/Polícia Federal)


A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (5) uma mulher suspeita de aliciar os brasileiros detidos por tráfico de drogas na Tailândia, em fevereiro deste ano. O mandado de prisão preventiva foi executado em Curitiba (PR) e faz parte da Operação Ong Bak. As informações são do UOL.

Além disso, foram executados mandados de busca e apreensão. Todos foram emitidos pela 9ª Vara da Justiça Federal, localizada na capital paranaense.

Conforme a polícia, as investigações sobre o caso iniciaram depois da prisão de Mary Hellen Coelho da Silva e outros dois brasileiros. Eles embarcaram no aeroporto de Curitiba e foram detidos no Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi, em Bangkok, com o total de 15,5kg de cocaína nas malas.

Segundo a Polícia Federal, os outros dois brasileiros já haviam viajado para o exterior, possivelmente com drogas, antes da pandemia de Covid-19.

Os investigados devem responder por tráfico internacional de drogas e associação criminosa. As penas somadas podem chegar a 25 anos.

No país asiático, o crime de tráfico de drogas pode ser punido com pena de morte, dependendo da quantidade e das circunstâncias.

Relembre a prisão de Mary Hellen

A jovem Mary Hellen Coelho Silva, de 21 anos, foi presa no aeroporto de Bangkok, na Tailândia.

A notícia sobre a prisão foi dada por Mary por meio de áudio. “Ela me mandou um áudio desesperada falando que tinha sido presa na Tailândia. Pediu para eu ajudar ela de alguma forma, entrar em contato com a embaixada brasileira. Só que eu não tinha noção da dimensão daquilo, não sabia da gravidade. Pra mim, ela estava viajando para Curitiba atrás de algum namorado, estas coisas que os jovens fazem”, contou Mariana Coelho, a sua irmã mais velha.

Ainda segundo Mariana, a família não desconfiava de que a jovem estava envolvida com tráfico. “Ela trabalhava com carteira assinada em uma churrascaria da cidade. Ela tinha o serviço dela, tudo certinho. A gente não sabe o que levou ela a fazer isso. A gente ficou em estado de choque, estamos desesperados”.

Mary Hellen nasceu no Rio de Janeiro e se mudou com a mãe e os quatro irmãos para Pouso Alegre (MG).

Segundo a família, ela queria ganhar dinheiro para custear o tratamento de câncer no útero que a mãe sofria. Porém, infelizmente, a mulher morreu em abril deste ano.