Mulher é presa por difamar dezenas de pessoas na internet


Uma mulher de 60 anos foi presa no Canadá após anos difamando desafetos na internet. Nadine Atas foi detida em Toronto, acusada de inventar mentiras sobre mais de 40 pessoas, incluindo ‘inimigos’ e seus familiares. Ela entrava em sites de denúncias e fóruns da internet e acusava seus desafetos de serem pedófilos e golpistas, entre outras atividades criminosas. Nadine também fazia montagens com fotos de seus alvos.

A prisão ocorre dias depois de uma reportagem do NY Times mostrar os danos causados pelos boatos a um dos alvos de Nadine, o programador Guy Babcock. Por anos, ele acionou forças policiais para tentar fazer com que Nadine parasse de difamá-lo, sem êxito. A mulher havia trabalhado por alguns anos na casa dele, e não gostou de ter sido demitida.

Após a repercussão da reportagem do NY Times, um site de denúncias suspeitou de dezenas de posts publicados por Nadine e identificou o número IP responsável pelas publicações.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

Tópicos

difamação

Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.