Comportamento

Mulher é encontrada morta com cobra enrolada no pescoço nos EUA

Mulher é encontrada morta com cobra enrolada no pescoço nos EUA

Pítons, como a da foto, são uma família de cobras não venenosas encontrada na África, Ásia e Austrália, e inclui algumas das maiores do mundo - AFP/Arquivos

Uma mulher de 36 anos foi encontrada morta com uma píton enrolada no pescoço em uma casa no estado de Indiana, no centro-oeste dos Estados Unidos.

Na casa, havia cerca de outras 140 cobras, informou a polícia.

O corpo de Laura Hurst foi descoberto na quarta-feira (30), relatou o porta-voz da polícia estadual, sargento Kim Riley, em um comunicado, acrescentando que Hurst tinha uma píton reticulada de 2,4 metros enrolada em seu pescoço.

Os médicos tentaram revivê-la, mas seus esforços foram em vão.

“Ela parece ter sido estrangulada pela cobra”, disse Riley ao jornal “Lafayette Journal & Courier”.

“Só teremos certeza após a necropsia”, completou.

O xerife do condado de Benton, Don Munson, que era dono da casa e morava ao lado, encontrou o corpo da mulher e declarou ao jornal que sua morte foi um “acidente trágico”.

As pítons são uma família de cobras não venenosas, encontrada na África, na Ásia e na Austrália. Abrange mais de 30 espécies, incluindo algumas das maiores cobras do mundo.

Veja também

+ Cartucho de videogame do Super Mario Bros. é leiloado por US$ 114 mil e quebra recorde
+ Moto pega fogo ao ser desinfectada; veja o vídeo
+ Aparência de apresentadora da TV britânica choca redes sociais
+ Empresário de 34 anos morre após cair do parapente no Espírito Santo
+ Dicas fáceis de como limpar panela queimada
+ Jovem pede delivery e encontra dedo humano em esfirra
+ Neto de Elvis Presley é encontrado morto, diz site
+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Veja 7 incríveis casas na natureza para sonhar
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior