Geral

MS: Menina de 13 anos tenta recomeçar a vida após fugir de casa depois de conhecer homem em jogo online

Crédito: Pixabay

Imagem ilustrativa (Crédito: Pixabay)


Uma menina, de 13 anos, fugiu de casa em Campo Grande (MS), no dia 28 de abril, depois de ter conhecido um homem, 25, em um jogo online. No dia 4 de maio, ela foi encontrada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) na cidade de Cascavel (PR). Agora, a adolescente tenta recomeçar a sua vida. As informações são do G1.

Uma tia da menina relatou ao portal que a mãe dela foi vítima de feminicídio há alguns anos e desde então ela mora com a avó paterna.

A mulher informou que a família acolheu a adolescente e tenta amenizar os danos causados pela violência que ela sofreu. O primeiro passo foi trocá-la de escola.

“Ela estava com vergonha de ir para a escola, falou que não queria mais ir lá e a coordenadora disse que achava melhor (trocar ela de escola), até por causa dos alunos, para não tentarem fazer alguma gracinha ou tirar sarro dela.”

“Conversamos bastante com ela. A princípio ela não tinha se dado conta da gravidade do que tinha acontecido, mas a gente recebeu ela bem. Até porque é difícil entender o que se passa na cabeça deles”, completou.

O passo seguinte foi procurar um apoio psicológico para a menina. “(Ela) vai começar a fazer terapia para ajudar”, afirmou a tia.

Relembre o caso

No dia 28 de abril, a menina desapareceu. A tia relatou que foi com a avó para o trabalho dela e, depois, foi para a escola.

“Ela arrumou a mochila e a minha mãe sempre olha a mochila dela e percebeu que a mochila estava macia. Quando ela abriu, viu que tinha roupa. A minha mãe tirou a roupa e perguntou para ela o porquê ela tava lavando roupa para a escola. Ela disse que tinha confundido e levado as roupas, deu uma desculpinha qualquer.”

Às 17h, a avó foi buscar a adolescente na escola. “Minha mãe entrou e a coordenadora disse que ela não tinha ido. (…) A gente já foi fazer um boletim de ocorrência depois.”

No dia 30 de abril, a menina conseguiu ligar para a avó e tranquilizar a família. “Ela disse: ‘Oi, vó, eu estou bem’. E quando a minha mãe perguntou onde ela estava ela disse que não podia falar. A gente salvou o número que ela ligou e eu mandei para a polícia.”

Com isso, a polícia conseguiu localizá-la.

Em depoimento a uma delegacia de Cascavel, o rapaz confessou que manteve relações com a jovem. A Polícia Civil informou que ele pode responder pelo crime de estupro de vulnerável.