Geral

Movimento ‘legalista sem ser extremista’ quer virar partido e apoia Moro candidato

Movimento ‘legalista sem ser extremista’ quer virar partido e apoia Moro candidato

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, após coletiva de imprensa em 24 de abril de 2020 - AFP

Um movimento político “de defesa da Constituição e das instituições brasileiras” foi criado por empresários do Sul do Brasil. A iniciativa foi batizada de “Cidadão Democrático de Direito”. Segundo os organizadores, a ideia é transformar o movimento em partido para as eleições de 2022 e ter o ex-ministro Sergio Moro como candidato. As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.

Um dos idealizadores do projeto é Fábio Aguayo, diretor da Abrabar (Associação Brasileira de Casas Noturnas). A entidade já teve a mulher do ex-juiz, Rosangela Moro, como advogada de defesa, em 2018. Segundo o empresário, Rosangela “defendeu casos pontuais” da associação.

“Ele [Sergio Moro] seria o nosso símbolo, de um estado legalista, que faz a coisa certa”, afirmou Aguayo à Folha. Ele ressaltou que o movimento não é para Moro “ser candidato e lançá-lo a nada”. A ideia inicial é “agregar seus amigos, seguidores, fãs e simpatizantes”.

“Nós não somos porta-vozes dele [do ex-ministro]. Mas se um dia ele se quiser se aventurar nisso [eleições], vai ter disponível alguma coisa com uma base genuína para ele, não contaminada por partidos”, disse Aguayo à colunista Mônica Bergamo.

De acordo com o empresário, o movimento “Cidadão Democrático de Direito” é antagônico ao Aliança pelo Brasil, projeto de partido apoiado pela família do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

“Como estão tendo esses movimentos de intervenção [militar], de abaixo o STF [Supremo Tribunal Federal], esses rompantes antidemocráticos, a gente quer fazer um movimento para apoiar as instituições. Elas podem ter os defeitos, mas sem elas a gente não vive”, explicou Aguayo à Folha.

Segundo ele, o grupo está sendo orientado por especialistas em direito eleitoral, e o movimento avalia quando será iniciado o processo de coleta de assinaturas para viabilizá-lo como partido político.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel