Edição nº2573 18/04 Ver edições anteriores

Moto G7 é lançado no Brasil

Em evento realizado na manhã desta quinta-feira (7) em São Paulo, a Motorola lançou os novos smartphones da linha G7 no Brasil. Os modelos são Moto G7 (RS 1.599), Moto G7 Play (R$ 999), Moto G7 Plus (R$ 1.899) e Moto G7 Power (R$ 1.399). O design dos modelos é similar e todos eles contam com o famoso entalhe no alto da tela, seguindo a linha do iPhone também do Motorola One, lançado há alguns meses. Todos os smartphones também saem de fábrica com o Android 9 Pie, versão mais nova do Android. Vamos a mais detalhes sobre os modelos.

Moto G7 – é o principal modelo da linha, com tela de 6,2 polegadas com proporção 19:9 e resolução FullHD+, 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento, câmera dupla na traseira (12 MP e 5 MP) e câmera de selfie de 8 MP. A tela tem um pequeno entalhe, em forma de gota. O processador é o Snapdragon 632 de 1,8 GHz.

Moto G7 Plus – versão mais “bombada” do G7, tem câmeras com maior resolução (16 MP na traseira e 12 MP na de selfie) e processador ligeiramente mais poderoso. Também tem alto-falantes estéreo Dolby e processador Snapdragon 636. O Plus também tem câmera com estabilização óptica (OIS). Como no G7, a tela tem entalhe em forma de gota.

Moto G7 Play – versão mais básica da linha, tem tela de 5,7 polegadas e entalhe em forma de “topete”, ao estilo do iPhone. Tem 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento e bateria de 3.000 mAh. O processador é o mesmo do G7, Snapdragon 632 de 1,8 GHz.

Moto G7 Power – O maior diferencial deste modelo é a bateria de 5.000 mAh (contra 3.000 mAh dos outros). Tem tela de 6,2 polegadas em proporção 19:9, 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento. O processador é o Snapdragon 632 de 1,8 GHz.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.