Comportamento

Moscou quer colocar a Ucrânia ‘de joelhos’, alerta Prêmio Sakharov

Moscou quer colocar a Ucrânia ‘de joelhos’, alerta Prêmio Sakharov

O ex-prisioneiro do Kremlin e diretor de cinema ucraniano Oleg Sentsov recebeu o prêmio de direitos humanos Sakharov do Parlamento Europeu - AFP

O cineasta ucraniano Oleg Sentsov, libertado em setembro pela Rússia, alertou nesta terça-feira que a Rússia quer colocar a Ucrânia “de joelhos”, em discurso na Eurocâmara como vencedor do Prêmio Sakharov em 2018.

“A Rússia é uma mentira. Os russos não querem paz no Donbass [região leste da Ucrânia envolvida em um conflito com rebeldes pró-russos], não querem paz para a Ucrânia, querem que vivamos de joelhos”, disse Sentsov.

O cineasta alertou os europeus sobre qualquer tentativa de “apaziguar” a relação com a Rússia de Vladimir Putin, sobre quem diz “não acreditar”. Os russos “querem dirigir a política europeia de acordo com seus métodos e não podemos permitir”, acrescentou.

Putin elogiou seu novo colega ucraniano, Volodimir Zelenski, antes de uma cúpula em 9 de dezembro em Paris, para buscar uma solução para o conflito na Ucrânia com a mediação da alemã Angela Merkel e do francês Emmanuel Macron, que deseja a aproximação da União Europeia (UE) e Moscou.

Sentsov, libertado em 7 de setembro como parte de uma troca de 70 prisioneiros entre a Rússia e a Ucrânia, havia sido preso em sua casa em 2014 por protestar contra a anexação naquele ano da península ucraniana da Crimeia por Moscou.

Sua sentença de 20 anos em um campo de detenção na Rússia por preparar “ataques terroristas” gerou mobilização internacional. Em 2018, a Câmara Europeia concedeu o Prêmio Sakharov pela liberdade de consciência.

“Toda vez que um de vocês pensar em estender a mão a Putin, lembr dos 13.000 mortos ucranianos”, alertou o cineasta.

Os eurodeputados atribuíram o Prêmio Sakharov este ano ao intelectual uigur Ilham Tohti, condenado à prisão perpétua na China por separatismo.