Esportes

Mosaico, casa cheia e apoio: torcida do Botafogo faz festa em sintonia perfeita e arranca virada com o time

Torcida alvinegra organizou mosaico, fez a arquibancada explodir e guiou Botafogo rumo à virada sobre o Fortaleza por 3 a 1

Mosaico, casa cheia e apoio: torcida do Botafogo faz festa em sintonia perfeita e arranca virada com o time

Embalado pela arquibancada, o Botafogo conquistou a segunda vitória em casa, no último domingo. Desde antes da partida contra o Fortaleza, válida pela sexta rodada do Brasileirão, a torcida alvinegra cantou alto e organizou um mosaico no Nilton Santos. Mesmo após o Leão abrir o placar, a confiança não esmoreceu e o público empurrou o time rumo ao resultado por 3 a 1. Se há duas rodadas Luís Castro se preocupava com a adaptação dos jogadores à casa cheia, o desempenho na virada do Glorioso mostrou que o time caminha junto à diretoria na construção de uma nova realidade para o clube, com festa e apoio incondicional.


+ Asteroide maior que o Empire State Building se dirige para a Terra, diz a NASA
+ Vídeo: Após 13 anos, mulher retira implantes dos seios e se surpreende com estado das próteses
+ Brasil estuda produzir semicondutores, com aporte de R$ 10 bilhões
+ Rogério Andrade autorizou sexo da esposa com seguranças, diz comparsa
+ Vencedora de reality nos EUA é condenada à prisão perpétua por matar filha de 3 anos

A classificação sobre o Ceilândia na Copa do Brasil empolgou os alvinegros, que compraram 21.782 ingressos para o duelo e totalizaram 23.616 presentes no Nilton Santos. Além da média de público superior em relação ao último jogo, o casamento entre os botafoguenses e o elenco também foi um diferencial para a virada do Glorioso. Assim, a preocupação que o técnico do Glorioso demonstrou no empate contra o Juventude já parece ter sido superada pelos jogadores.

 

– Os jogadores ainda estão se adaptando a nova realidade do Botafogo, que é ter o estádio cheio. Agradeço a torcida e precisamos nos adaptar. É fantástico esse conforto que vem da torcida e a expectativa por uma resposta positiva dos nossos jogadores, acabou atrapalhando os caminhos ao gol. Isso acabou nos desequilibrando. Não foi um bom dia para nós – disse Luís Castro na época.

No domingo, a situação foi outra. O Botafogo começou o jogo sem se expôr, e assim não fez grandes investidas nos primeiros minutos. Mas nem por isso a arquibancada deixou de continuar a festa que começou com o mosaico, representando a bandeira do Alvinegro. A cada interceptação ou corte no setor defensivo, os botafoguenses vibraram como se tratasse de um gol, impulsionando os 11 em campo para o contra-ataque.

Contudo, em um lance de oportunidade, Moisés abriu o placar para o Fortaleza. Embora fosse esperado que o ânimo desse trégua, não foi o que ocorreu. Na comemoração da torcida do Leão, a torcida mostrou quem era o dono da casa e abafou os cantos dos visitantes.

O jogo esfriou na sequência, mas a arquibancada seguiu pegando fogo até o gol de Erison, que marcou o empate no final do primeiro tempo e fez os corações alvinegros explodirem de felicidade. A cada música entoada, os jogadores corriam mais e procuravam o caminho da reviravolta.

Na segunda etapa, Erison balançou a rede de novo, mas teve o gol anulado. A arquibancada protestou contra a arbitragem, mas Luís Castro aplaudiu os alvinegros e fez um gesto para que voltassem a fazer a festa no Nilton Santos. O pedido foi prontamente atendido, e o reconhecimento veio após os 90 minutos.

– Também teve ajuda da torcida. Em momento algum a torcida nos desesperou, mesmo nos momentos ruins, apoiou a equipe. Entendeu que a equipe em alguns momentos precisa tocar a bola para controlar o jogo – contou o mister.

Aos 30 minutos do segundo tempo, os torcedores viram o esforço ser recompensado. Em cobrança de falta, Patrick de Paula marcou um golaço para virar o jogo. Neste momento, a euforia virou emoção e, ao som de “Vamos, Botafogo!”, o elenco correu para o abraço do Setor Leste. No Setor Norte, alvinegros também vibraram e trocaram abraços calorosos. A tradicional chuva de copos no calor do momento também não faltou.

O clima já era de comemoração quando Daniel Borges, nos acréscimos, sacramentou a vitória com o terceiro gol do Botafogo. A arquibancada foi à loucura e, por alguns segundos, não houve outra reação se não o grito de alívio do torcedor que acredita até o minuto final. Assim, a partida foi encerrada no melhor estilo, com o Nilton Santos vermelho pela luz do lança-chamas, que agora embala os gols do Alvinegro. Emocionado, John Textor aproveitou para “bandeirar” depois do apito final e disse que deseja mostrar ao mundo a experiência de ser um escolhido.