Mundo

Morte de Khashoggi ‘foi um erro’, diz ministro saudita

Crédito: AFP/Arquivos

(Arquivo) O jornalista saudita Jamal Khashoggi participa de uma coletiva de imprensa na capital do Bahrein, Manama (Crédito: AFP/Arquivos)

ROMA, 6 DEZ (ANSA) – O ministro de Estado das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, admitiu nesta sexta-feira (6) que o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi na Turquia “foi um erro, uma operação não autorizada”. “A Arábia Saudita não mata nunca os seus cidadãos. Há pessoas sendo processadas e temos adotado mecanismos para evitar que isso se repita no futuro”, disse o ministro ao “Med Dialogues”, em Roma, citando as investigações sobre a morte de Khashoggi.

O jornalista saudita, um crítico ao governo, entrou no dia 2 de outubro de 2018 no consulado saudita em Istambul, na Turquia, e nunca mais saiu de lá. Fontes anônimas dizem que ele foi morto e desmembrado dentro da sede diplomática. A Arábia Saudita chegou a alegar, inicialmente, que Khashoggi tinha deixado o consulado com vida, mas as autoridades turcas disseram que nenhum circuito de segurança teria registrado isso.

A polícia local também encontrou evidências do assassinato e de tentativas de adulteração de provas no consulado. (ANSA)

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?