Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Relatos de marinheiros ao redor do mundo ao longo dos séculos levaram à imaginação popular a existência de monstros misteriosos que atacavam as embarcações. O site IFLScience relembrou numa matéria alguns desses seres fantásticos, e incluiu entre as possíveis explicações uma inesperada e bizarra: nada menos do que ereções de baleias.

O kraken, monstro marinho gigante com tentáculos, teria sua origem em 1180, quando o rei Sverre, da Noruega, escreveu sobre um monstro marinho. Com o tempo, o tamanho do ser e seu potencial destrutivo aumentaram: os marinheiros afirmavam que os animais eram do tamanho de uma ilha, atacavam navios com tentáculos colossais e, em certa época, conseguiam criar gigantescos redemoinhos que levavam embarcações inteiras para o fundo do oceano. Atualmente, a explicação mais prosaica para o kraken seriam avistamentos de lulas gigantes.

Já as famosas serpentes marinhas aparecem em relatos séculos 17 e 18. Ao contar ter avistado uma dessas serpentes marinhas, o missionário luterano dinamarquês Hans Egede escreveu que em 6 de julho de 1734, ele e os que estavam a bordo de seu navio tinha visto “uma criatura terrível, que não se parecia com nada que eles haviam visto antes. O monstro ergueu sua cabeça tão alto que parecia ser mais alto do que o ninho de corvo no mastro principal. A cabeça era pequena e o corpo, curto e enrugado. A criatura desconhecida usava barbatanas gigantes que a impulsionavam através da água. marinheiros viram também a sua cauda. O monstro era mais longo do que todo o nosso navio”.

Nos relatos, as criaturas eram descritas como semelhantes a serpentes e desenhadas como tal. Confira na imagem abaixo.

Crédito: Biodiversity Heritage Library/Flickr

“Pilar esbranquiçado”

Charles Paxton, pesquisador bolsista da Universidade de St. Andrews (Reino Unido), deu uma olhada nesse e em outros casos de avistamentos de serpentes marinhas em 2005, para possíveis explicações dos relatos. Sua conclusão – com comparações com fotos e descrições modernas – é que vários dos relatos se referiam, na verdade, a ereções de baleias.

“Uma objeção mais séria a um cetáceo é que a parte traseira do animal foi descrita e desenhada como sendo semelhante uma serpente. Embora as baleias sejam encontradas e possam sobreviver, sem golpes de sorte, corpos semelhantes a serpentes ou enguias não são geralmente associados com o impulso rápido que seria necessário para erguer todo o corpo fora da água”, ele e vários outros autores escreveram na revista Archives of Natural History.

+ + Jeep ultrapassa a VW em vendas; veja como ficou o ranking em abril
+ CNH: maio é o último mês para grupo renovar habilitação vencida; veja
+ Veja as 10 motos big trail mais vendidas em 2022

Pênis de baleia (alto) e desenho sobre avistamento de serpente marinha (acima). Crédito: Twitter

“No entanto, há uma explicação alternativa para a cauda em forma de serpente”, prosseguiram eles. “Muitas das grandes baleias de barbatanas têm pênis longos em forma de cobra. Se o animal realmente caísse de costas, sua superfície ventral estaria para cima e, se o baleia estava excitada, o pênis normalmente retraído teria sido visível. Os pênis da baleia-franca do Atlântico Norte e da baleia-cinza (do Pacífico) podem ter pelo menos 1,8 metro de comprimento e 1,7 metro de comprimento, respectivamente, e poderiam ser confundidos por uma testemunha ingênua com uma cauda. (…) O fato de uma cauda ter sido vista a partir de uma certa distância de um navio sugere a presença de mais de uma baleia macho.”

Um incidente diverso que poderia ser mais conclusivamente explicado por uma grande ereção de baleia é o de marinheiros a bordo do navio mercante Pauline, em 1875. Eles viram uma serpente marinha que descreveram como um “pilar esbranquiçado”. Essa serpente em particular foi vista no meio de um grupo de cachalotes, que estavam no momento “frenéticos de excitação”.