Tecnologia & Meio ambiente

Misteriosas mortes de elefantes no Zimbábue sobem para 34

Misteriosas mortes de elefantes no Zimbábue sobem para 34

O Zimbábue conta com mais de 84.000 elefantes - AFP/Arquivos

Outros doze elefantes morreram no Zimbábue, elevando para 34 o número de paquidermes mortos por uma possível infecção bacteriana em apenas um mês, disseram as autoridades aos deputados nesta segunda-feira (28).

“Foram encontrados um total de 34 cadáveres (…), mas alguns outros ainda não foram localizados”, disse o diretor da Autoridade de Parques e Vida Selvagem do Zimbábue, Fulton Upenyu Mangwanya.

Os animais morreram entre 24 de agosto e 23 de setembro dentro e ao redor de algumas florestas situadas entre o Parque Nacional Hwange e a cidade de Victoria Falls.

“Foram encontrados virados para baixo”, o que sugere “uma morte extremamente repentina”, disse Mangwanya.

Os testes realizados no Zimbábue até agora apontam para uma doença chamada septicemia hemorrágica, provocada por infecções bacterianas, segundo Mangwanya.

Os guardas descartaram o envenenamento por cianeto ou a caça furtiva porque os animais foram encontrados com as presas intactas.

Mangwanya disse que os animais selvagens são mais propensos a doenças durante a temporada de calor.

O Zimbábue enfrentou sucessivas secas nos últimos anos, o que deixou os animais com menos água e vegetação. As autoridades alertaram que as mortes podem persistir durante a temporada seca.

O país conta com mais de 84.000 elefantes.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Santo Stefano: Esta vila italiana te paga R$ 52 mil para se mudar

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar