Ministros de Bolsonaro só são valentões no anonimato

Crédito: Marcos Corrêa/PR

SHOW DE HORRORES Reunião de ministros revela o lado mais sombrio do governo: falta de educação e autoritarismo (Crédito: Marcos Corrêa/PR)

Os ministros de Bolsonaro demonstram que só são valentes quando pensam estar no anonimato de uma reunião ministerial.

Sem imaginar que o teor da sessão seria divulgado, Weintraub chamou os ministros do STF de “vagabundos” e que deveriam ser presos. Chamado a depor à PF, no entanto, afinou: ficou calado.

Salles, que queria passar uma “boiada” para destruir o meio ambiente, disse depois que foi “mal interpretado”.

Damares, que desejava prender governadores, voltou atrás.

Paulo Guedes foi outro que se mostrou intrépido na frente dos colegas, dizendo que tinha lido Keynes no original, mas agora confessa não saber como impedir a retração de 8% no PIB deste ano.

Ao comentar a queda de 1,5% no PIB no primeiro trimestre, e reconhecendo que no segundo o tombo será maior, Guedes desceu do pedestal, pedindo que todos o ajudem a encontrar saídas para a crise.

“Precisamos que todos ajudem a remar até a margem. Caso contrário, corremos o risco de o barco afundar.”

Veja também

+ Neto de Elvis Presley é encontrado morto, diz site
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Veja 7 incríveis casas na natureza para sonhar
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.