Agronegócio

Ministros das Américas mostram temor com protecionismo e fome durante pandemia

São Paulo, 14 – Representantes de 34 países da América Latina e Caribe, EUA e Canadá, em um encontro virtual de cúpula convocado pela Secretaria de Agricultura do México, realizado nesta segunda-feira, 13, manifestaram preocupações com o aumento do protecionismo e da fome durante a crise de covid-19.

Na ocasião, conforme comunicado do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), ministros e secretários de Agricultura e Pecuária se comprometeram a fortalecer a segurança alimentar, ameaçada pela pandemia, por meio de apoio à produção agropecuária para aumentar a produtividade, facilitar o comércio intrarregional e reforçar a agricultura familiar.

Foi o segundo encontro de cúpula de agricultura realizado desde que foi declarada a pandemia do novo coronavírus, sob a organização do IICA e da Agência das Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO). A primeira aconteceu no dia 22 de abril e foi convocada pelo ministro de Agricultura do Chile.

O secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural do México, Víctor Villalobos, disse que “o propósito da reunião é compartilhar políticas, ações e planos para enfrentar o impacto da pandemia de covid-19 na segurança alimentar, na agricultura, nos sistemas alimentares e na área rural do hemisfério”.

O diretor-geral do IICA, Manuel Otero, ressaltou, no comunicado, a maturidade dos países do hemisfério ocidental por rejeitarem medidas protecionistas e pelo apoio à fluidez dos fluxos de comerciais transfronteiriços e intrarregionais mediante a generalização dos certificados eletrônicos, mas advertiu sobre a necessidade de reforçar ao máximo a cooperação continental e alertou para questões que qualificou como “preocupantes”, como o fato de países que exijam Certificação Livre de covid-19 para produtos da região. Otero convocou todos a sustentar e apoiar a atividade dos agricultores familiares, responsáveis por até 70% dos produtos que compõem a cesta básica.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

De acordo com a ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, o agronegócio se mantém sob forte pressão, mas continua demonstrando grande resiliência. “O recrudescimento do protecionismo não é o caminho”, disse. Segundo a ministra, “o diálogo hemisférico é fundamental para emergir da pandemia mais fortes”.

Para Marie Claude Bibeau, ministra de Agricultura do Canadá, “a covid-19 mudou a vida das pessoas e ressaltou as iniquidades, apesar da resiliência da cadeia de alimentos”. Ela ressaltou que as mulheres, os jovens e os povos indígenas estão entre os mais impactados, assim como as populações marginais.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Atriz e modelo sul-coreana Song Yoo-jung morre aos 26 anos
+ Pais matam as 2 filhas para provar que elas voltariam a vida
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra! + Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel