BUENOS AIRES, 13 JUN (ANSA) – Desidratado no último momento, o projeto da Lei de Bases do governo de Javier Milei foi aprovado no Senado argentino nesta quarta-feira (12) após mais de 10 horas de discussões.   

Para garantir a aprovação, foram removidas da lista de privatizações três empresas públicas: a companhia aérea (Aerolíneas Argentinas), os correios (Correo Argentino), e o serviço radiofônico e televisivo (RTA).   

Apesar disso, outras 15 empresas devem ser privatizadas. No esboço apresentado pelo governo em dezembro, havia a previsão de mais de 40.   

Milei ainda precisou abrir mão de pontos-chave relativos à previdência e ao Regime de Incentivos aos Grandes Investimentos (RIGI).   

A votação ocorreu em meio a violentas manifestações diante da sede parlamentar. Ao menos 23 pessoas foram presas.   

O resultado ficou em 36 votos a 36, e passou com o voto de minerva da presidente do Senado e vice-presidente do país, Victoria Villaruel. O texto agora voltará para a Câmara. (ANSA).