Comportamento

Michelle Obama defende ‘diversidade’ nos EUA após declarações de Trump

Michelle Obama defende ‘diversidade’ nos EUA após declarações de Trump

A então primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, discursa em almoço com Jennifer Lopez em 10 de julho de 2014, na cidade de Nova York.

A ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, reagiu nesta sexta-feira aos ataques do presidente Donald Trump contra a legisladora Ilhan Omar, muçulmana nascida na Somália, recordando que a grandeza dos Estados Unidos procede de sua “diversidade”.

“O que verdadeiramente torna grande o nosso país é sua diversidade”, escreveu Michelle no Twitter, em referência à frase de campanha de Trump “Make America Great Again”.

“Tenho visto esta beleza de muitas maneiras ao longo dos anos. Seja dos que nasceram aqui ou dos que buscaram refúgio. Há um lugar para todos nós. Devemos lembrar que não se trata do meu ou do seu Estados Unidos. É o nosso Estados Unidos”, declarou a mulher do ex-presidente Barack Obama.

Trump provocou a polêmica ao propor a Omar e a outras três congressistas democratas da ala esquerda do partido – todas cidadãs americanas – a “regressar” a seus países de origem.

Os gritos de “Mande-a de volta!” surgiram na noite de terça-feira em um comício de Trump “Make America Great Again” em Greenville, na Carolina do Norte.

Em declarações à imprensa no Salão Oval, Trump disse posteriormente que desaprovava o que aconteceu. “Eu diria que não fiquei feliz com aquilo. Eu discordo daquilo. Mas, de novo, não fui eu quem gritou – foram eles. E eu discordei”.

Nesta sexta-feira, Trump qualificou os participantes do comício na Carolina do Norte de “pessoas incríveis, patriotas incríveis”, e reafirmou que Omar “tem sorte de estar onde está”, e as declarações que fez “são uma vergonha para nosso país”.