(Reuters) – Um tribunal de Mianmar condenou o jornalista norte-americano Danny Fenster a 11 anos de prisão nesta sexta-feira, disseram seu advogado e seu empregador, apesar de apelos dos Estados Unidos para que ele fosse libertado do que seu país disse ser uma detenção injusta.

Editor-gerente da revista digital Frontier Myanmar, Fenster, de 37 anos, foi considerado culpado de incitação e de violações de leis de imigração e associação ilícita, disse a publicação, descrevendo as penas como “as mais rigorosas permitidas pela lei”.

Ele é o primeiro jornalista ocidental condenado à prisão nos últimos anos em Mianmar, onde um golpe militar contra o governo eleito da ganhadora do Nobel da Paz Aung San Suu Kyi em 1º de fevereiro encerrou uma década de passos titubeantes rumo à democracia e provocou protestos de âmbito nacional.

“Não existe absolutamente nenhuma base para condenar Danny com estas acusações”, disse Thomas Kean, editor-chefe da Frontier Myanmar, um dos principais veículos de notícias independente do país.

Fenster foi preso em maio, quando tentava deixar o país, e desde então é mantido na notória prisão de Insein, em Yangon, onde centenas de oponentes dos militares foram presos, muitos espancados e torturados, durante décadas de ditadura.

Ele recebeu acusações adicionais e mais graves de sedição e violações da leis de terrorismo no início desta semana, sem explicações das autoridades.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

(Reportagem Redação Reuters)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHAB0RK-BASEIMAGE


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias