Geral

MG: Mulher perde ticket da bagagem e deixa mala com 70 kg de drogas em ônibus

Crédito: Divulgação/ PMMG

Uma mulher foi presa pela polícia nesta terça-feira (24) em Minas Gerais suspeita de traficar drogas de Ribeirão Preto, em São Paulo, para a capital mineira. De acordo com a Polícia Militar, a corporação foi acionada por um funcionário de uma empresa de transportes que estranhou as três bagagens deixadas no porta-malas do ônibus de viagem. As informações são do jornal O Tempo.

Nas malas, os agentes encontraram aproximadamente 70 quilos de maconha. A responsável pelas malas foi identificada por meio da numeração da bagagem que é atrelada a passagem. A suspeita foi detida na cidade de Timóteo, onde morava.

Em depoimento à polícia, a mulher contou que foi para Ribeirão Preto com uma amiga, onde dois homens entregaram as drogas. Na segunda-feira (23), as duas embarcam para Belo Horizonte, mas durante a viagem elas perderam os tíquetes para recolher as malas.

Conforme a PM, as investigações já identificaram a outra mulher, que está sendo procurada. As duas suspeitas devem responder por contrabando de drogas. A PM também tenta identificar os dois homens que entregaram às drogas em São Paulo e onde a maconha seria comercializada.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel