Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Uma mulher, de 38 anos, foi presa no sábado (25) por ser suspeita de ter matado o marido, Sérgio Carvalho Silva, 51, asfixiado. Segundo a polícia, ela contou com a ajuda de uma vizinha, 33, que também foi detida. A moça contou aos agentes que era vítima de violência doméstica e o companheiro a chamava de “velha e gorda”. O caso ocorreu no bairro Santo Antônio, em Itajubá (MG). As informações são do O Tempo.

Conforme o boletim de ocorrência, o homem trabalhava como segurança para a prefeitura. No dia do crime, a mulher mentiu que iria atuar como segurança em Pouso Alegre e pediu para o marido testar a sua habilidade de imobilização. Ele aceitou e ela amarrou as mãos e os pés dele com cadarços de tênis. Depois, a mulher pegou uma blusa e tampou a boca e o nariz do companheiro. Ela só parou de asfixiá-lo quando ele desmaiou.

Então ela chamou a vizinha e, quando as duas notaram que o homem estava morto, colocaram um pedaço de pão na garganta dele para simular que ele havia engasgado.

Depois, a vizinha acionou o Corpo de Bombeiros. Quando chegaram ao local, os agentes tentaram reanimar o homem para levá-lo ao hospital, mas já era tarde.

Em depoimento à polícia, a mulher disse que não sabe ao certo a motivação do crime. Apenas informou que, enquanto asfixiava o marido, lembrou das vezes que foi chamada de “velha e gorda”.

Contudo, o irmão do homem contou aos policiais que a cunhada tentou matar o marido outras vezes por meio de envenenamento.

A Prefeitura de Itajubá lamentou a morte do funcionário por meio de nota e afirmou que enviou “os cumprimentos de pesar aos familiares do servidor Sérgio Carvalho Silva, falecido neste sábado, 25 de junho, aos 51 anos. Sérgio cumpriu honrosamente suas atribuições na Prefeitura por 23 anos. Trabalhou nas Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social, Governo, Obras e Saúde. Neste momento de tristeza e dor, pedimos a Deus que conforte todos os familiares e amigos”, finalizou.