Geral

Ministério Público acusa vereador de pagar R$ 40 mil para matar desafeto

Crédito: Karoline Barreto/CMBH

O Ministério Público de Minas Gerais denunciou o vereador Ronaldo Batista (PSC), de Belo Horizonte, como mandante do assassinato de Hamilton Dias de Moura (MDB), ex-vereador de Funilândia. De acordo com o MP, o parlamentar pagou R$ 40 mil pelo pelo crime. As informações são do R7.

Na última quinta-feira (15), Batista foi preso pela Polícia Civil. A investigação aponta que o crime foi motivado por uma disputa sindical. Moura morreu no dia 23 de julho, com tiros no rosto e no pescoço enquanto estava dentro do carro na capital mineira.

Ainda segundo o MP, o montante teria sido dividido entre três pessoas, entre elas um soldado da Polícia Militar. O grupo armou uma emboscada para atrair a vítima. Eles criaram um perfil falso de uma mulher chamada “Vanessa” que estaria interessada em comprar um lote e marcaram um encontro com Moura.

Ao chegar no local combinado, a vítima foi surpreendida por uma dupla, que disparou diversas vezes contra o vereador. Conforme a denúncia, o PM teria auxiliado na fuga e na destinação da arma de fogo usada no crime.

Disputa sindical

Além de vereador em Funilândia, Moura era presidente do Simeclodif (Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transporte de Cargas, Logística em Transporte e Diferenciados de Belo Horizonte e Região). A entidade foi criada a partir de uma dissidência do STTRMBH (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte da Região Metropolitana de Belo Horizonte), durante a gestão de Ronaldo Batista.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

De acordo com o MP, o Simeclodif passou a fazer oposição administrativa e “arrebatar sindicalizados e contribuições” que eram dirigidas ao outro sindicato. A entidade também passou a ajuizar ações na Justiça do Trabalho contra o STTRMBH.

Em uma das ações, Ronaldo Batista se tornou réu por má administração do sindicato “como desvio, dilapidação e malversação do patrimônio da entidade, descumprimento de acordo judicial e apropriação indébita”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel