Geral

MG: Justiça determina que maternidade pague tratamento de bebê que caiu depois do parto

Crédito: Reprodução/TV Record Minas

Na segunda-feira (23), a Justiça de Minas Gerais determinou que a Maternidade Sofia Feldman pague pelo tratamento médico, cirúrgico e psicológico de Olívia depois que a bebê sofreu traumatismo craniano e levou 11 pontos ao cair de cabeça no chão após o parto. O caso ocorreu no bairro Tupi, em Belo Horizonte (MG). As informações são do R7.

O juiz Armando Ghedini Neto, da 8ª Câmara Civil de Belo Horizonte, estipulou uma multa diária de R$ 5 mil caso o hospital descumpra a decisão. Ele também solicitou que as imagens da câmera de segurança e o prontuário da paciente sejam entregues em até cinco dias.

A Justiça mineira ainda apontou que o tratamento rápido pode ser fundamental para que a recém-nascida não tenha prejuízos decorrentes do acidente.

“Se não lhe for garantido o fornecimento do procedimento cirúrgico e psicológico, com a urgência requerida, a inércia prolongada durante o tempo pode gerar consequências ainda maiores, principalmente ao desenvolvimento da saúde da incapaz, colocando em risco a sua vida”, relatou a decisão.

A Maternidade Sofia Feldman afirmou por meio de nota que irá cumprir com a determinação judicial, mas também avaliará a possibilidade de entrar com um recurso. “A decisão foi proferida apenas com base na narrativa dos autores, antes que o Hospital pudesse se manifestar nos autos.”

A maternidade ressaltou que os fatos levados ao judiciário pelos pais da bebê não correspondem com as imagens disponibilizadas à Polícia Civil. Segundo o hospital, elas “desmentem vários pontos da narrativa da petição inicial”.

A administração do hospital informou que os prontuários foram entregues à Polícia Civil, mas ainda não chegaram às mãos dos pais de Olívia porque os protocolos só permitem a liberação dos documentos em até 15 dias.

A maternidade também relatou que a família não solicitou o acesso ao vídeo.

“Não houve qualquer falha na assistência dispensada à paciente”, finalizou a nota.

Relembre o caso

Josiane Marques Pereira afirmou que deu entrada na Maternidade Sofia Feldman no dia 6 de maio. Enquanto esperava para ser atendida, ela deu à luz a sua filha, Olívia, que caiu de cabeça no chão e precisou levar 11 pontos.

A mãe afirmou que a queda da bebê causou um traumatismo craniano. Por conta disso, ela precisou ser transferida para o Hospital João XXIII, onde passou por cirurgia.

À Polícia Civil, Josiane relatou que esperou 40 minutos para ser atendida por uma equipe médica. Segundo ela, uma enfermeira teria pedido para aguardar e depois informado que Josiane teria de andar até o quarto.

“Eu via gente entrando e saindo e ninguém me chamava. As contrações foram aumentando e fui perdendo a paciência. Perguntei o porquê da demora e falaram que eu seria a próxima. Entre o estouro da bolsa e ela nascer, foi um minuto. E aí, bateu no chão. É uma cena que nunca vou esquecer”, disse em entrevista à TV Alterosa.