Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

A jovem Ester Garcia, de 22 anos, teve o aparelho auditivo furtado no último dia 13 de junho, em Belo Horizonte (MG). A estudante de Direito, que perdeu totalmente a audição aos 15 anos, estava há apenas quatro meses com o dispositivo que a permitia ouvir do lado esquerdo.

De acordo com a jovem, no dia do furto, ela estava indo para o trabalho e acabou adormecendo no ônibus. “Quando acordei, passei a mão na cabeça e percebi que não estava ouvindo e que estava sem o implante. Na mesma hora percebi que o clipe estava preso na blusa, mas a cordinha de segurança estava cortada”, contou Ester à ISTOÉ.

A cirurgia para a colocação do implante foi feita em janeiro deste ano e um mês depois o aparelho foi ativado. Conforme a estudante de Direito, ela ainda estava em fase de adaptação quando teve o dispositivo furtado.

“Estava aprendendo a ouvir novamente, é uma relação de amor e paciência. Tenho muito amor pelo meu IC [implante coclear], tive momentos que me exigiram muita paciência, e tive momentos de total prazer”, afirmou.

A jovem explica ainda que nos primeiros dias chegou a sentir dor de cabeça. “Era difícil trabalhar ouvindo as pessoas conversando. Fiquei  irritada, queria sair do ambiente e ir para o silêncio, mas depois acostumei, comecei até a adorar ouvir as vozes e risadas dos meus colegas.”

Sete anos sem ouvir nada

Ester começou a perder a audição aos 11 anos e com 15 já não ouvia mais nada. “Os médicos não sabiam a razão, aparentemente é algo hereditário, pois meu irmão também está perdendo a audição e meu pai morreu surdo”, disse a estudante.

Ester Garcia fez a cirurgia para colocação do implante coclear no começo de 2022 (Crédito:Arquivo pessoal)

“Lidar com a situação não foi fácil, mesmo jovem, enfrentando alguns problemas de saúde e na família, o que me deixava calma era a música, minha terapia era música, principalmente Racionais Mcs. Eu escrevia músicas, queria entrar no ramo inclusive. Perder o acesso a aquilo que me dava alegria de viver foi difícil. Parei de escrever músicas e comecei poesias, que é o que faço até hoje como terapia”.

Desde os 16 anos na fila da SUS, a jovem conta que a cirurgia para a colocação do implante só foi realizada após uma ajuda do escritório de advocacia onde ela trabalha.

“Por coincidência um dos advogados é filho do cirurgião responsável por essa área no hospital das clínicas da UFMG. Mas para conseguir realizar a cirurgia, seria necessário passar por exames caros e que demorariam meses pelo SUS, o escritório pagou todos os exames para a cirurgia sair o mais rápido possível”, explicou.

“Com o implante eu encontrei conforto na música novamente, ainda me lembro de ativar o implante e no mesmo dia, colocar Racionais para ouvir, me sentir viva e acolhida novamente”, recordou Ester.

Campanha de arrecadação

De acordo com Ester, um aparelho novo custa cerca de R$ 30 mil. Sem condições de arcar com o valor, a jovem fez um desabafo que viralizou nas redes sociais. Depois, ela decidiu criar uma vaquinha online. Até a manhã desta quarta-feira (29), a campanha já arrecadou R$ 19 mil.

“Sinto que vai ser uma luta imparável. Lutei anos por isso e perdi em segundos. De primeiro, confesso que queria desistir de tudo. Pensei ”por que comigo?”. Senti raiva, frustração. Não dormi durante os três primeiros dias, tive crises de ansiedade, pensei que era o fim. Mas me deparei com tanta solidariedade, histórias. Me deu forças para tentar novamente”, afirmou a jovem.

Ainda segundo a estudante, após a publicação nas redes, ela afirma ter recebido vários relatos parecidos de pessoas que também tiveram o aparelho roubado. “Eu não conhecia esse tipo de crime, já roubaram bebês, a mão armada… Não podemos normalizar isso. Se tem quem rouba, tem quem compre”, alertou Ester.

Após o furto, a jovem fez um boletim de ocorrência no mesmo dia. Procurada pela ISTOÉ, a Polícia Civil informou que foi instaurado um procedimento para apurar o furto. “A investigação encontra-se em andamento na 3ª Delegacia de Polícia Civil Barreiro, cuja equipe segue em diligências para levantamentos de informações e identificação do suspeito”, diz a nota da corporação.