Esportes

Mexicano enfrenta homofobia e realiza sonhos na patinação: ‘Menino que nunca se rendeu’

Crédito: Reprodução/Twitter @olympics

O mexicano Donovan Carrillo, de 23 anos, tem se destacado na patinação artística das Olímpiadas de Inverno, que acontecem em Pequim, na China.

O patinador fez história e se tornou o primeiro latino-americano classificado no programa livre de patinação artística. Com sua exibição ao som de “Black Magic Woman”, do roqueiro mexicano Carlos Santana, Donovan se classificou em 19° para as finais da modalidade, que acontecem na quarta-feira (09).

A vida do primeiro mexicano em 30 anos a participar da patinação em Jogos Olímpicos, contudo, não é fácil. O atleta é alvo de homofobia no seu país constantemente.

“Não me incomoda que me chamem de gay porque não sou. Mas o que me incomoda é que usem a palavra gay para ofender ou como insulto para mim e para meu trabalho. É muito importante que desde criança os pais fomentem que futebol e basquete podem ser praticados por meninas, pois muitas vezes esses esportes são muito estereotipados. Igual à patinação”, disse Carrillo, em entrevista ao jornal ‘As’. “Por trás de tudo isso está o sonho de um menino que nunca se rendeu”, acrescentou.

Donovan começou a patinar aos oito anos. Além do apoio da família, o atleta recebeu muitas doações e fez rifas para conseguir dinheiro e seguir a carreira. Carrillo treinava em rinques de patinação artística de shoppings no México. “A mensagem que deixo para os mexicanos é que não importa as adversidades, trabalhem duro e nunca se rendam”, concluiu.