Economia

Metais: cobre fecha em queda com cautela sobre acordo fechado entre EUA e China

Os contratos futuros do cobre recuaram nesta sexta-feira, após a cautela com a finalização da chamada “fase 1” do acordo comercial entre Estados Unidos e China ter prevalecido no mercado de metais.

O cobre para março caiu 0,55%, a US$ 2,7810 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), mas registrou alta semanal de 2,06%. Já o cobre para três meses teve queda de 0,41%, a US$ 6.130 a tonelada, na London Metal Exchange (LME), com alta de 2,34% na semana.

O exterior operou com volatilidade durante a manhã, à medida que eram divulgadas informações sobre a guerra comercial sino-americana. O cobre subia após a notícia de ontem de que Washington e Pequim haviam chegado a um entendimento, mas passou a cair após um tuíte do presidente americano, Donald Trump. O líder da Casa Branca criticou uma reportagem do Wall Street Journal sobre a retirada de tarifas à China.

O metal básico, no entanto, voltou a subir quando a China confirmou o pacto preliminar, mas mudou de direção novamente e fechou o pregão em território negativo, em meio a interpretações mistas sobre o acordo.

Trump afirmou que as negociações da “fase 2” do pacto começariam imediatamente, mas autoridades chinesas ponderaram que antes a “fase 1” precisa ser implementada.

“Os preços dos metais básicos em geral tiveram ganhos moderados em resposta às notícias. Nós acreditamos que o acordo comercial já estava amplamente precificado”, avalia Daniel Briesemann, analista de metais do Commerzbank.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o alumínio recuou 0,39%, a US$ 1.768 a tonelada, o chumbo caiu 1,44%, a US$ 1.910 a tonelada, o níquel teve alta de 0,50%, a US$ 14.170 a tonelada, e o estanho recuou 0,14%, a US$ 17.225 a tonelada.

Tópicos

cobre metais