Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

O quarto título de Filipe Toledo em Saquarema – o terceiro consecutivo – garantiu ao brasileiro a liderança ainda mais folgada do ranking mundial e o deixou muito perto de outra meta: a de chegar em primeiro lugar ao WSL Finals, em setembro, competição que colocará os cinco melhores do ano na disputa pelo título mundial. O melhor do ranking estará classificado direto para a decisão.

“Essa é a meta agora: chegar em Trestles como número um do mundo. O foco é o mesmo, trabalho não para”, disse Filipinho nesta terça-feira, logo após vencer a etapa brasileiro do circuito.

O título fez o brasileiro ultrapassar os 50 mil pontos no ranking, abrindo quase 10 mil de vantagem para o segundo colocado, o australiano Jack Robinson, restando apenas duas etapas antes do WSL Finals.

Nesta terça, Filipinho venceu com folga o também brasileiro Samuel Pupo, graças sobretudo a uma onda que lhe rendeu nota 10 após ele conseguir um aéreo. “O aéreo… Eu tentei deixar o melhor pro final, e quando veio eu falei ‘é isso, é agora ou nada, vamos pra cima’. Arrisquei ali ao máximo, consegui voltar, e o 10 foi só lucro”, comemorou.

Ele também se mostrou muito grato à Saquarema. “É um lugar muito especial, que eu gosto muito. Venho desde criança, competi nos amadores, nos profissionais, e hoje em dia posso competir no circuito mundial aqui. É muito gratificante, e o carinho da galera local não tem em nenhum lugar do mundo”, comentou Filipinho.

“A galera estava em peso, a torcida estava em peso, trouxe aquela vibe incrível que todo ano tem aqui em Saquarema. Acho que esta vez foi um pouquinho mais especial, por ter semifinal e final 100% brasileira. Foi especial.”

A etapa no Brasil colocou nada menos do que quatro surfistas do País nas semifinais. Além de Filipinho, que superou Yago Dora para ir à final, Ítalo Ferreira também alcançou as semis, sendo superado por Samuel Pupo.

Sobre isso, Filipe Toledo exaltou o grande momento do surfe brasileiro. “A gente fez história mais uma vez. O Brasil fez história mais uma vez no surfe. Isso mostra como a gente está evoluindo, o quanto a gente está crescendo, e o quanto a gente é guerreiro e é raçudo para poder mostrar para o mundo”, ressaltou.

Apesar de perder a decisão, Samuel Pupo era só sorrisos ao final da disputa. “Foi, sem dúvida, meu melhor resultado até agora. Estou muito feliz de fazer isso aqui no Brasil, ainda mais contra o Filipe, que é um grande amigo meu e me ajudou muito este ano. Foi incrível fazer parte de tudo isso. É minha primeira etapa aqui no Brasil, então chegar na final foi inacreditável”, comentou.